anuncio

anuncio

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

troca de correia motor F3N e F3P RENAUT 19


Diante da importância de tal item na manutenção do carro, desenvolvemos esse artigo. Este artigo se aplica exclusivamente aos motores 1.8 (F3N e F3P). A correia dentada de distribuição é um elemento vital para o motor.
É a que sincroniza o abrir e fechar das válvulas no momento exato. É óbvio que sem a correia o motor não funcionará, pode haver rompimentos das válvulas (com sorte), e com má sorte, se rompem os pistões, bielas, etc… Isto se deve a fato que, dentro da câmara de combustão, pistões e válvulas compartilham um mesmo espaço, pelo que não devem se encontrar jamais. A correia de distribuição também comanda a bomba de água, responsável pela circulação do sistema de arrefecimento.
Deve substituir a correia dentada de distribuição a cada 60.000 Km segundo a guia de manutenção preventiva da Renault, mas é recomendável numa manutenção preventiva trocá-la a cada 50.000 Km, não se perde nada e se tem maior tranqüilidade.
A correia de acessórios não possui um intervalo de mudança definida, o recomendado é sempre verificar o estado da mesma e se for trocar a correia dentada de distribuição, trocar junto a correia de acessórios, isso é o que é recomendado e mesmo assim existem pessoas que não trocam nenhum ou não respeitam a kilometragem recomendadas pelos fabricantes.
Também pode ser necessário substituir algum tensor da correia dentada de distribuição, por segurança esses tensores deveriam ser trocados a cada 100.000 Km, ou seja, cada duas mudanças de correia, mas pode ser necessário os substituir antes já que se acostuma a comercializar materiais péssima qualidade, por isso a utilização de peças originais ou de fabricantes de marcas consagradas para evitar esse transtorno. Mais adiante iremos falar mais de tensores.
Materiais Necessários:
  • Correia dentada de distribuição: (R$40,00 valor médio na Importadora RR Parts);
  • Tensores: A correia de distribuição leva dois tensores, um fixo e um móvel. Os valores sugeridos estão entre R$45,00 e R$60,00. O recomendado é comprar tensores fabricados com rolamentos SKF, que são duráveis e confiáveis ou outro de boa qualidade;
  • Correia de acessórios: (R$35,00 valor médio na Importadora RR Parts). Não é tão importante a marca desta correia, uma boa marca é DAYCO, que é fabricada na Argentina sob normas de qualidade ISO9001. Recordem aclarar o modelo e equipamento de seu veículo, já que o tamanho de correia varia se o auto possui ar acondicionado ou direção hidráulica.
  • Chaves tipo tubo em várias medidas:10mm, 13mm, 16mm, 18mm e 19mm;
  • Chave ponta Torx-20;
  • Chave de fenda bem grande;
  • Um suporte para sustentar o veículo;
  • Muitos trapos e;
  • Algum desengraxante ou limpa motores.
Chega de papo e vamos começar! Abram o capô (isso é fácil).
Aí já têm à vista a correia de acessórios que fica presa ao alternador e compressor do ar condicionado.
Para retirá-lo afrouxem o parafuso de 16mm que sustenta um extremo do alternador, e depois o outro de 13mm. Agora com uma chave de 10mm vão afrouxando o parafuso longo que é o que em realidade tensa a correia. Não entenderam? Quando forem trocar e olharem pessoalmente todo o sistema vão entender, é fácil.
Uma vez que a correia afrouxou, devemos retira-la por completo.
A correia dentada de distribuição não se encontra à vista, há uma capa que a protege dentro de um cárter para evitar que a estrague devido ao contato com terra, pedras, óleos, graxas ou combustíveis. Primeiro tiraremos a tampa superior da proteção.
São quatro parafusos com cabeça de 10mm, e seu acesso é bastante apertado, necessitando de uma chave pequena e uma certa paciência.
Aí está, sem a capa de proteção, onde podemos enxergar a polia da árvore e o tensor móvel.
A partir dessa etapa começa a ficar um pouco mais complicado é preciso força de vontade e ânimo em continuar. Se o seu propósito era apenas verificar o estado da correia nessa etapa já dá para avaliar, mas como esse artigo é sobre a troca iremos continuar.
Levante o veículo do lado esquerdo e retirem a roda. Como digo sempre, não confiem no no macaco, coloquem um suporte para sustentar o veículo. Depois, retirem a proteção de plástico, conhecido por “parabarro dianteiro”, esta proteção esta presa por um par de parafusos cabeça Torx-20 e com outro de 10mm à carrocería do veículo.
Antes de afrouxar qualquer coisa, devemos colocar o motor em sua posição de Ponto Morto Superior (PMS), mais conhecido como “ponto morto”. Tomem a chave de 19mm e comecem a girar o motor em sentido horário (esse é o sentido de giro do motor, o recordem, sentido horário da esquerda para direita). Quanto girar? Até que as marcas que possui a polia da árvore e a marca que tem o cárter que está presa esta polia se alinhem. Para entender melhor olhem a foto:
As marcas geralmente não vêm pintadas, somente se vê uma marca, se não estiver enxergando as marcas, use um produto de limpeza para deixar a área mais nítida, já que é importante as ter bem à vista em todo momento.
Já conseguida a posição de PMS, devemos recorrer à ajuda de outra pessoa, porque para afrouxar e para isso devemos bloquear o motor, caso contrário este giraria. Existem vários métodos:
  • Um é colocar a chave de 19mm na engrenagem e a fazer travar na carroceria do carro, logo lhe dar um toque na partida do veículo, com isso fica afrouxado. Este método parece-me perigoso para principiantes.;
  • O outro é engatar o carro em 4ª marcha, pedir a alguém que mantenha o freio pressionado a fundo, e começar a afrouxar a mão com a chave. Acredito que mesmo com o freio pressionado e estando em 4ª marcha o motor se move um pouco.
  • O mais recomendável é colocar uma chave de fenda bem grande na roda dentada, desta forma o motor fica travado firmemente. Olhem a foto para entender melhor.
Pedir a alguém que sustente a chave em dita posição e afrouxe a engrenagem.
Uma vez que se afrouxa (isso pode levar muito tempo e esforço), a polia cai diretamente.
Pronto, pode ficar mais tranquilo, daqui em diante o trabalho ficará mais fácil!
Devem tirar a tampa plástica inferior que ainda cobre duas polias e o tensor fixo. São 3 parafusos de 10mm, mas se os anteriores estavam um pouco inacessíveis, estes estão ainda pior! Igualmente podem-se retirar, com um pouco de paciência vão chegar à situação que aqui podem ver na foto:
Mas adiante falaremos sobre o que se deve fazer se a quantidade de gordura e óleo é abundante.
Mas por agora procederemos a tirar a correia dentada de distribuição. Antes de afrouxar o tensor móvel, comprovar que o motor siga estando em sua posição de “ponto morto”. Caso não esteja, precisa corrigir essa posição.
Afrouxar o tensor, este preso por uma porca de 16mm. Tirar a porca e depois o tensor.
Sendo assim, a correia se afrouxa e sai muito facilmente.
Falemos um pouco dos tensores… Estes costumam apresentar dois sintomas devido a uma mesma causa; que façam ruído quando o motor esta frio, ou que se travem e cortem a correia.
Ambos problemas se devem a sujeira que penetram em seu interior, deteriorando a lubricación interna. Para saber se um tensor esta bem, façam-no girar com a mão. Se é impossível movê-lo, esta travado, atirem-no. Se gira facilmente mas em seu interior sente-se ruído, como se fossem grãos de areai raspando, troque-os também. O movimento do tensor deve ser suave e sem ruídos, não deve girar muito facilmente, isto é, deve ter pouca inércia.
Se a quantidade de gordura pela zona onde deve estar a correia é abundante, se deve proceder a uma limpeza, já que o óleo, graxa e combustíveis diminuem consideravelmente a vida da correia. Podem fazer a limpeza utilizando limpa motores ou algum outro desengraxante poderoso. Seria mais que interessante também conhecer a causa, do porquê de tanta gordura nessa zona, possivelmente se deva a alguma junta (de tampa de válvulas ou do cárter) ou retentor que não esta cumprindo sua função.
Se pensam em trocar o tensor fixo, façam-no agora, já que deve estar colocado quando colocaremos a nova correia. Diferentemente do móvel, o qual se coloca depois de passar a correia. Procederemos agora a colocar a nova correia.
Como sempre, verificamos que a polia da árvore siga em sua posição de “ponto morto”. Existe uma forma de conferir. Segue a foto:
Que a marca que esta na tampa de plástico seja bastante larga, indica que existe certa tolerância para o ponto da distribuição, assim que se assegurem de que ambas marcas coincidem. Em caso que não o façam, devem girar o motor lentamente empurrando a coroa dentada. Vai ver que se move muito facilmente.
Agora vem a outra parte complicada, colocar a nova correia. Comecem a calçá-la através de todo seu percurso, observando que as marcas das polias se mantenham em seu lugar.
MUITO IMPORTANTE: Se observarem a correia, verão que tem desenhadas umas setas que indicam o sentido de giro que deve ter. Como disse antes, o motor gira em sentido horário, e essas setas deverão acompanhar este sentido horário.
Colocar a correia com a mão, ou seja, pressioná-la na zona onde deveria ir o tensor móvel, por que? Porque seguramente alguma das polias vai sair do ponto, então devemos tirar a correia e acomodar a polia que se moveu. Repetir este passo até que fique tudo como recomendado nos passos anteriores aqui citados.
Fazer alavanca para dentro com a chave de fenda, de maneira de esticar a correia. Uma vez que se sente esticada, fixar o tensor ajustando seu porca, tal qual é ilustrado na foto abaixo:
Tensão da correia: Para saber se demos-lhe uma tensão adequada, façam como vêem na foto: girem a correia sobre si mesma em seu trecho mas longo. Deveria girar um ângulo de 90º. Se gira mais é porque demos-lhe pouca tensão, se gira menos é porque demos-lhe demasiada. Veja a foto abaixo:
Se damos-lhe demasiada tensão, ao pôr o motor em marcha vamos ouvir um notório ruído que se faz mais notável às 3.000 RPM. Se ouvirem esse ruído estranho, procedam a afrouxar um pouco a correia.
Se demos-lhe pouca tensão, ao acelerar e desacelerar o motor vamos ouvir ela vibrar. Isso indica que esta frouxa, assim é necessário ajustarmos um pouco.
A fase final, verificar que tenha ficado bem feito o ponto da distribuição. Com a chave de 18mm, faça girar o motor através da polia da árvore. Deve-se girar o motor em sentido horário.
Dar-lhe duas voltas completas e verificar as marcas, conferir se estejam dentro da tolerância indicada. Se não estiver certo, refazer o ajuste.
Colocar a tampa plástica inferior. Devemos bloquear o motor novamente para ajustar a polia.
Pedir a alguém que sustente a chave de fenda bloqueando o giro do motor, e com toda a força do mundo, ajustar a fixação do parafuso. Se não ficar bem ajustado, a polia vai patinar. Notaremos isso porque vai acender a luz da bateria devido que o alternador não estará girando.
Falta agora colocar a correia de acessórios. É um pouco mais fácil que a correia dentada do motor. Passem a correia de acessórios por todo seu percurso, tal como vêem na foto:
Ajustar a correia de acessórios no alternador pode custar um pouco, devido que a correia nova não está muito esticada ainda. Se não entra por nada, afrouxe o parafuso que sustenta o alternador e aí se deveria entrar facilmente. Uma vez que entro, voltem a colocar o parafuso. Não o ajustem ainda.
Por meio do parafuso longo de 10mm, comecem a esticar e ajustar a correia. Uma vez tensa, ajustem o parafuso de 16mm e depois o de 13mm.
Faça igual a correia dentada de distribuição, a forma de saber se está tensa é fazendo um giro de 90º em seu trajeto mais longo. Se girar mais de 90º está frouxa, se gira menos, demos-lhe demasiada tensão.
Se demos-lhe demasiada tensão, ao usar o veículo vamos notar que está mais “pesado”, ou seja, que responde menos. Neste caso devemos proceder aliviando a tensão da correia.
Se demos-lhe pouca tensão, ao acelerar, utilizar o ar condicionado, a direção e etc., ouviremos um “grito” da correia que indica que está patinando. Se a correia patinar mas tivermos a certeza absoluta de ter-lhe dado a tensão adequada, deve-se verificar as polias ou a mesma correia se não se encontra enroscada, ou prendendo em algum ponto ou até mesmo danificada.
Para finalizar, devemos colocar a roda dianteira novamente e sair e dar umas voltas, verificando que a correia não patine e que não se escutem ruídos estranhos.
Atenção: se notarem o motor estranho, deve-se verificar se a correia de distribuição ficou bem colocada e esteja no ponto.
Se tudo ocorrer bem, pronto, trabalho terminado!!! Caso queira confirmar, só peça para seu mecânico de confiança com o uso de uma aparelhagem adequada para verificar o ponto. Mas isso é opcional, se tudo for feito da forma recomendada não é necessário.