sexta-feira, 4 de junho de 2010

correa-dentada-Citroën-Xsara-1.8-16V-e-Zx-1.8-16V-mecanica-automotiva



troca de correia xsara 1.8

troca de correia xsara 1.8











troca de correia xsara 1.8














troca de correia xsara 1.8














troca de correia xsara 1.8

troca de correia xsara 1.8

troca de correia xsara 1.8




troca de correia xsara 1.8
















troca de correia xsara 1.8

Particularidades do procedimento


As principais particularidades do procedimento de troca da correia dentada desses veículos são:

O ponto de sincronismo do virabrequim ocorre quando as ferramentas de fasagem (varetas) alinham-se na horizontal, estando o primeiro cilindro em movimento de subida e o segundo em movimento de descida (figura 3).

O tensionador da correia não possui referências para tensionamento. Por isso, a correia deve ser tensionada pelo método prático de tensionamento (vide item tensionamento da correia dentada);

As polias dos eixos comandos de válvulas não são chavetadas. A chaveta encontra-se na arruela de apoio das polias. A folga existente entre a polia e a arruela serve para facilitar o tensionamento da correia dentada (figura 5);
Procedimento para verificação do sincronismo da correia dentada


Retire a bobina de ignição (figura 1);

Retire as quatro velas de ignição (figura 1);

Posicione o veículo em um elevador automotivo e retire a proteção do cárter, a roda dianteira direita e o protetor interno ao pára-lama (figura 2);

Alivie a tensão da correia poly-v e retire-a;

Retire a capa de proteção superior da correia (figura 8);

Introduza no orifício das velas do primeiro e segundo cilindro, as ferramentas de posicionamento (fasagem) do virabrequim (varetas) - (figura 3);

Gire manualmente o motor (no sentido de rotação) até que as ferramentas de posicionamento do virabrequim alinhem-se perfeitamente na horizontal, estando o primeiro cilindro em movimento de subida e o segundo em movimento de descida (figura 3);

Observe se, nessa condição, os furos existentes nas
arruelas das polias dos eixos comandos alinhamse com os guias existentes no cabeçote, tornando possível a perfeita instalação das ferramentas de fasagem (parafusos de 6mm)-figura 4. Se o encaixe for obtido, a correia está corretamente sincronizada. Se não for possível o acoplamento citado, dê mais uma volta completa no virabrequim.


Caso seja verificado o sincronismo incorreto ou se deseje substituir a correia dentada, execute o procedimento a seguir.

Procedimento para substituição da correia

Com a correia devidamente sincronizada e o veículo posicionado em um elevador automotivo conforme descrito no item anterior (figuras 2, 3 e 4);

Remova a proteção inferior da cremalheira do
volante do motor e posicione a ferramenta paratravamento do virabrequim (figura 6);


Com a árvore de manivelas travada, solte o parafuso de fixação da polia do virabrequim e retire a polia;

Retire a capa de proteção inferior da correia (figura 8);

Com a correia já exposta, confira atenciosamento sincronismo dos eixos comandos (figura 4) e ocorreto posicionamento do virabrequim (figura

Com os eixos sincronizados, solte a porca de fixação do tensionador da correia dentada e retirea correia;
Com o auxílio de uma ferramenta de travamento (figura 7), afrouxe os parafusos das polias dos comandos, sem retirá-los. Feito isso, observe que há uma folga entre as polias e as arruelas chavetadas (figura 5). Com as polias livres, gire-as manualmente no sentido horário até o final do curso da folga;


Instale a nova correia no sentido anti-horário, começando pela engrenagem do virabrequim;

Tensione a correia obedecendo ao método prático de tensionamento (vide item tensionamento da correia dentada). Aperte a porca de fixação do tensionador com um torque de 40 N.m (4 Kgf.m);
Utilizando-se da ferramenta de travamento, aperte cada parafuso das polias dos comandos com um torque de 80 N.m (8Kgf.m) - figura 7;


Retire as ferramentas de fasagem dos eixos comandos (parafusos de 6mm) e a ferramenta de travamento do virabrequim;

Dê dois giros manuais no motor e confira o tensionamento e o sincronismo da correia (figuras 3 e 4). Se for preciso efetue ajustes;

Instale novamente a ferramenta de travamento do virabrequim;

Reinstale as capas de proteção da correia e a polia do virabrequim. Torque recomendado para a polia 140 N.m (14 Kgf.m);

Retire as ferramentas de alinhamento do virabrequim (varetas) e a ferramenta de travamento da árvore de manivelas;

Reinstale tudo o que foi retirado.
atenção
O furo guia existente na polia do virabrequim não serve como referência para sincronismo do motor (figura 8). O sincronismo da árvore de manivelas é obtido alinhando-se as ferramentas de fasagem (varetas) na horizontal, conforme explicamos anteriormente (figura 3).

7 comentários:

  1. otima materia, esclareceu muito bem como deve ser o procedimento.

    ResponderExcluir
  2. sem comentarios, valeu mesmo!

    ResponderExcluir
  3. Perfeito!! São matérias como esta que a internet vale a pena.

    Parabéns!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Muito boa a literatura técnica

    ResponderExcluir
  5. ola amigo o meu carro e um citroen x sara 2.0 16v mais ele esta bebedo muita agua e nao tem nei um vazamento de agua eu gostaria de sabe o que e?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. problema na junta do cabeçote asss. Leandro 41-33452265

      Excluir
  6. alguém poderia me salvar, eu estava trocando a correia dentada do meu Peugeot 306 16v 1.8, e sem querer misturei as arruelas chavetadas e as polias do comando, notei que existe uma pequena diferença de posicionamento, alguém poderia me informar a chaveta C e D qual é admissão e qual é escape? obrigado

    ResponderExcluir