anuncio

anuncio

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Novo Volkswagen Golf VI

O Novo Golf VI europeu pode ser produzido no Brasil. Segundo apurou o Blogauto, com informações da agência Auto Data, testes para produção do Golf VI na linha de montagem na fábrica de São José dos Pinhais, no Paraná, estão sendo feitos pela Volkswagen. Fornecedores também confirmam a cotação de peças do modelo.


Segundo a Auto Data, esta reviravolta sobre a produção do Novo Golf VI no Brasil pode ser confirmada através do novo plano de investimentos da Volkswagen no Brasil, o qual deve ser anunciado no mês que vem.




Além das análises de custos para a produção do Golf VI no Brasil a partir de 2011, informações também dão conta de que a marca somente irá se definir no ano que vem, após ver como o mercado brasileiro irá reagir com término integral da redução do IPI.



Apesar de ser uma boa notícia, resta saber se a marca manterá o mercado brasileiro em sintonia com o mercado europeu. Isso porque o Novo Golf VI nem chegou perto do Brasil, e uma nova geração já está em desenvolvimento para o mercado europeu.



A projeção acima, feita pela revista inglesa Auto Express, mostra como pode ser o Novo Golf VII. As linhas do modelo vazaram em um vídeo institucional da marca onde um protótipo de um hatch com estas características aparece sendo produzido

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

lifan montadora chinesa

A chinesa Lifan já está vendendo seus veículos no Brasil. A montadora chegou ao País neste ano e colocou nas lojas dois de seus modelos: o sedã 620 e o compacto 320.



O pequeno 320, bastante parecido com um MINI Cooper, chega às concessionárias com preço de entrada de R$ 29.980. O modelo vem equipado com ar-condicionado, direção hidráulica, trio elétrico e duplo airbag, entre outros itens. Vem com um motor 1.3 16V de 88 cv de potência, acoplado a um câmbio manual de 5 marchas.



Já o Lifan 620 (foto) é mais luxuoso. O modelo terá todos os itens do 320, mais volante multifuncional, bancos de couro, faróis de LED e sensor de estacionamento. O sedã com motor 1.6 16V de 106 cv terá preço de entrada de aproximadamente R$ 40 mil.



A Lifan já possui sete concessionárias espalhadas pelo País. Em São Paulo, a revenda da montadora fica perto do Metro Palmeiras-Barra Funda, na Avenida Antártica, 240.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

troca de correia dos Motores 2.0 16 válvulas Renault: Scénic 2.0 16V e Laguna 2.0 16V

Motores 2.0 16 válvulas
Renault: Scénic 2.0 16V e Laguna 2.0 16V
Particularidades do procedimento



Scénic 2.0 16V e Laguna 2.0 16V

As principais particularidades do procedimento de troca da correia dentada desses veículos são:

A polia do eixo comando de escape e a engrenagem do virabrequim não são chavetadas. Por isso, a simples troca dessa correia, requer o domínio do procedimento e a utilização de ferramentas especiais.

Há pouco espaço livre no compartimento do motor. Para se retirar as capas protetoras da correia, a correia ou qualquer um de seus rolamentos ou engrenagens, deve-se deslocar o motor (conforme explicaremos nos itens a seguir).

O motor está em perfeito sincronismo quando: Com o primeiro cilindro em ponto morto superior PMS (no final da fase de compressão) os rasgos existentes nas

30 N.m

extremidades dos comandos (opostas às polias), alinham-se na horizontal (figura 3), tornando possível a perfeita instalação da ferramenta de fasagem (figura 4).

Procedimento para verificação do sincronismo da correia dentada

Retire a bobina e a vela de ignição do primeiro cilindro (figura 1);

Retire o suporte do filtro de ar - com toda sua tubulação (figura 1);



Retire os tampões retentores dos eixos comandos de válvulas - localizados abaixo do suporte do filtro de ar, do lado oposto ao das polias (figura 2). Para retirar os tampões, bata cuidadosamente na lateral dos mesmos (figura 2). Caso algum dos tampões seja danificado na retirada, providencie um novo componente;

Gire manualmente o motor, até que os rasgos existentes nas extremidades dos comandos (opostas às polias), alinhem-se na horizontal - abaixo do centro dos eixos ( figura 3). Atenção! Rasgos alinhados acima dos centros dos eixos indicam a necessidade de se dar mais uma volta completa no virabrequim;

2Caso seja verificado o sincronismo incorreto ou se deseje substituir a correia dentada, execute o procedimento a seguir.


Procedimento para substituição da correia

Com a correia devidamente sincronizada e os eixos comandos de válvulas e virabrequim travados pelas ferramentas de fasagem (conforme descrito no item anterior), posicione o veículo em um elevador automotivo;

Retire a proteção do cárter, a roda dianteira direita e o protetor interno ao pára-lama (figura 6);

Alivie a tensão da correia poly-v e retire-a;

Certifique-se, mais uma vez, do correto posicionamento do virabrequim (figuras 5 e 7) e dos eixos comandos de válvulas (figura 4);

Retire o sensor de rotação e instale em sua base a ferramenta de travamento da árvore de manivelas (figura 8);

Solte a polia do virabrequim e retire a capa de proteção inferior da correia dentada (capa plástica);

Para facilitar a retirada do suporte de sustentação superior do motor, solte a mangueira do canister e desligue o chicote dos sensores de pressão-MAP, posição da borboleta-TPS e atuador da marcha lenta-IAC;

Apóie o motor pelo cárter utilizando-se de um macaco jacaré, por exemplo;

Retire o suporte de sustentação superior do motor (figura 1);

Por intermédio do macaco jacaré, levante cuidadosamente o motor até que se consiga acesso para a retirada da capa de proteção superior da correia dentada (capa metálica). Feito isso, retire a capa superior da correia;

Solte a porca de fixação do tensionador da correia dentada e retire a correia;

Instale a nova correia no sentido anti-horário, começando pela engrenagem do virabrequim;

Com o auxílio de uma chave Allen de 6mm, movimente o tensionador para sua posição de máximo tensionamento (figura 9). Nessa posição, aperte a porca de fixação do tensionador;Reinstale a polia do virabrequim, aplicando um torque de 25 N.m (2,5 Kgf.m) + 135 graus angulares;


Retire a ferramenta de fasagem dos eixos comandos (figura 4), o indicador de PMS (figura 5) e a ferramenta de travamento da árvore de manivelas (figura 8);

Dê dois giros manuais no motor;

Solte a porca de fixação do tensionador e movimente-o para sua posição de tensionamento ideal (figura 9). Nessa posição, aperte a porca de fixação do tensionador com o torque de 30 N.m (3 Kgf.m);

Reposicione atentamente a correia em sincronismo (conforme descrito no item verificação do sincronismo), travando os eixos comandos de válvulas (figura 4) e o virabrequim (figura 5) em sua posição de fasagem. Instale novamente a ferramenta de travamento da árvore de manivelas;

Retire a polia do virabrequim;

Reinstale as capas de proteção da correia, o suporte de sustentação superior do motor e a polia do virabrequim - torque recomendado de 25 N.m (2,5Kgf.m) + 135 graus angulares;

Retire a ferramenta de travamento e as ferramentas de fasagem (figuras 4, 5 e 7);

Reinstale o que foi retirado.

Scénic 2.0 16V e Laguna 2.0 16V1
 
Scénic 2.0 16V e Laguna 2.0 16V2


Scénic 2.0 16V e Laguna 2.0 16V3
 
Scénic 2.0 16V e Laguna 2.0 16V4

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

troca de correia Motores 1.0 e 1.2 16V renault Kangoo Express



Motores 1.0 e 1.2 16V
Renault: Clio II 1.0 16V, Kangoo 1.0 16V, Express 1.0 16V e Twingo 1.2 16V Peugeot: 206 1.0 16V
Considerações iniciais sobre o sistema


 de correia renault
As principais particularidades do procedimento de troca da correia dentada desses veículos são:

A polia do eixo comando de válvulas e a engrenagem do virabrequim são chavetadas. Isso facilita o sincronismo e a troca da correia. Nesses veículos não há necessidade de utilização de ferramentas especiais para sincronizar o motor.

Um dos principais pontos de sustentação do motor está na capa de proteção superior da correia. Por isso, para se retirar a correia ou qualquer um de seus rolamentos ou engrenagens, deve-se apoiar o motor (conforme explicaremos nos itens a seguir).

No Peugeot 206 1.0 16V, após a substituição da correia sincronizadora é necessário apagar, “resetar”, a indicação de revisão periódica do painel de instrumentos (vide dica no final do procedimento).

Procedimento para verificação do sincronismo da correia dentada

Posicione o veículo em um elevador automotivo; Retire a proteção do cárter, a roda dianteira direita e o protetor interno ao pára-lama (figura 2);

Apóie o motor pelo cárter utilizando-se de um macaco jacaré, por exemplo;

Com o motor apoiado retire seu suporte de sustentação superior (figura 1);

Retire a capa superior de proteção da correia dentada (figura 1);

Gire manualmente o motor até que a marca (triangular) existente na polia do eixo comando alinhe-se com a referência fixa existente na parte traseira da capa superior da correia (figura 3);

Nessa condição, a marca da polia do virabrequim deve alinhar-se com a referência existente na capa de proteção inferior da correia dentada (figura 3).
Com a correia já exposta, confira atenciosamente se as referências móveis existentes na polia do eixo comando e na engrenagem do virabrequim alinham-se com suas respectivas referências fixas (vide vista geral da correia);


Solte a porca de fixação do tensionador da correia dentada. Com uma chave Allen de 6mm, posicione o tensionador em sua posição de mínimo tensionamento. Com um pino de aproximadamente 1mm trave-o nessa posição (figura 5). Com o tensionador travado retire a correia dentada;

Instale a nova correia no sentido anti-horário, começando pela engrenagem do virabrequim. Além disso, observe o lado (setas) e a posição (marcas) de montagem da correia (figura 6);

Com a correia já instalada, destrave o tensionador de sua posição mínima. Com uma chave Allen posicione o tensionador em sua posição de máximo tensionamento (figura 5). Aperte a porca de fixação do tensionador, com um torque de 30 N.m ou 3 Kgf.m;

Retire a ferramenta de travamento da árvore de manivelas (figura 4);

Dê dois giros manuais (voltas completas) no motor e posicione o tensionador em sua posição ideal de tensionamento (figura 5);

Reposicione atentamente a correia em sincronismo (vide vista geral da correia);
Instale novamente a ferramenta de travamento da árvore de manivelas;


Reinstale as capas de proteção da correia. Reinstale a polia do virabrequim (torque recomendado: 20 N.m (2 Kgf.m) + 90 graus angulares);

Retire a ferramenta de travamento;

Reinstale o que foi retirado.

No Peugeot 206 1.0 16V, quando faltam menos de 1000 Km ou o prazo de revisão do

veículo expira, observa-se que: o indicador de manutenção periódica permanece aceso por cinco (5) segundos toda vez que é ligada a ignição (figura 7).

Como apagar "resetar" a indicação de manutenção periódica 1 - Com a chave de ignição desligada, aperte o botão (1) e mantenha-o apertado (figura 7); 2 - Ligue a chave de ignição, sem soltar o botão (1), e aguarde até que comece uma contagem regressiva de 10 segundos. Passados os 10 segundos o display irá sinalizar [ = 0 ] e o indicador de manutenção desaparecerá; 3 - Solte o botão (1). Desligue a ignição.
 de correia renault2 de correia renault 3 de correia renault 4 de correia renault 5

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

troca de correia dentada da Renault: Twingo 1.0 8V, Clio 1.2 8V, Mégane 1.6 8V, Kangoo 1.6 8V e Express 1.6 8V



correias renaut
Motores 1.0, 1.2 e 1.6 8 válvulas


troca de correia dentada da Renault: Twingo 1.0 8V, Clio 1.2 8V, Mégane 1.6 8V, Kangoo 1.6 8V e Express 1.6 8VParticularidades do procedimento


As principais particularidades do procedimento de troca da correia dentada desses veículos são:

A polia do eixo comando de válvulas e a engrenagem do virabrequim são chavetadas. Isso facilita o sincronismo e a troca da correia. Nesses veículos não há necessidade de utilização de ferramentas especiais para sincronizar o motor.

Para se verificar o sincronismo do motor é necessário retirar a capa de proteção da correia.

Procedimento para substituição da correia

Posicione o veículo em um elevador automotivo;

Retire a roda dianteira direita e o protetor interno ao pára-lama (figura 2);

Retire as correias auxiliares (alternador, bomba da direção hidráulica etc);

Retire o sensor de rotação e instale em sua base a ferramenta de travamento da árvore de manivelas (figura 3);

Solte os parafusos da polia do virabrequim (5 parafusos) e retire a polia;

Retire a ferramenta de travamento da árvore de manivelas (figura 3);

Solte todos os parafusos de fixação da capa de proteção da correia dentada e retire a capa;

Com a correia já exposta, gire manualmente o motor até que a marca existente na polia do eixo comando alinhe-se com a referência fixa existente na tampa de válvulas (figura 4). Nessa condição, a marca existente na engrenagem do virabrequim deve alinhar-se com sua respectiva referência fixa (figura 4);

Com os eixos sincronizados, solte a porca de fixação do tensionador da correia dentada e retire a correia. Evite movimentar bruscamente os eixos. lembre-se de que sem a correia, há risco de colisão entre os pistões e as válvulas;Reinstale a capa de proteção da correia. Reinstale a polia do virabrequim (torque recomendado: – Parafuso principal: 20 N.m (2 Kgf.m) + 90 graus angulares). - Parafusos secundários: 50 N.m (5 Kgf.m) cada


Retire a ferramenta de travamento;

Reinstale o que foi retirado.

domingo, 12 de setembro de 2010

novo gol historia do novo gol ficha tecnica do novo gol



A Quinta geração do Gol, chamada comercialmente de Novo Gol, foi lançado no dia 29 de junho de 2008. O modelo teve suas características externas e internas renovadas; é equipado com motor transversal EA111 em duas opções bicombustível 1.0 e 1.6.[9][10] Inicialmente o novo gol esta disponível apenas com quatro portas, convivendo com o modelo antigo em duas portas, e com sete opções de cores: dois tons de cinza, dois de vermelho, preto, branco e prata..[11] A suspensão traseira do novo gol  é igual à do modelo antigo, a dianteira é mais resistente à torções, a coluna de direção é nova e o câmbio, o mesmo do Fox (com relação do diferencial alongada).[9][10] Como novidade, além de compartilha plataforma com Polo e Fox, entre os opcionais estão o air-bag e freios ABS.[10] O novo Gol é vendido a partir de R$28.890.

Em 2009,o Novo Gol ganhou uma versão automatizada vendida no nome I-Motion,que foi lançada no Polo e depois chegou ao Novo Gol e ao Voyage.O I-Motion foi criado para competir com o câmbio automatizado da Fiat,o Dualogic,que está presente em todos os carros da marca(exceto o Fiat Punto).

O Lançamento do Novo Gol
A festa de lançamento do Novo Gol teve como um dos pontos altos da apresentação um desfile de 20 cães da raça labrador em alusão às antigas campanhas publicitárias do Gol, onde se ressaltou que a confiança e lealdade que o veículo emana, é semelhante a desta raça de cão.

Motor doNovo Gol
O motor é o EA-111 VHT, que na versão 1.6 já equipa o Polo e o Fox. Na versão versão 1.0 é o mesmo do Fox 2009 com 9,7/10,6 kgfm (gasolina/álcool) de torque a 3.850 rpm abastecido com álcool e 72/76 cv (gasolina/álcool) a 5.250 rpm.[12][13]

ficha tecnica do Novo Gol
Ano 2010
Valor R$ 39110
Combustível Flexível
Configuração Hatch ,
Procedência Nacional
Peso 944 kg
Cilindrada 1598 cc
Porte Pequeno
Porta-malas 285 litros
Tanque 55 litros
Entreeixos 2470 mm
Manutenção 3
Coeficiente 246,81
Aceleração 0-100 km/h 12,2 s
Velocidade Máxima 192 km/h
Torque 15,6 kgfm a 2500 rpm
Potência 104 cv a 5250 rpm
Consumo Urbano 7,9 km/l
Consumo Rodoviário 10 km/l
Potência Específica 65,08 cv/litro
Peso/Potência 9,08 kg/cv
Torque Específico 9,76 kgfm/litro
Largura 1660 mm Altura 1460 mm Conforto 3

sábado, 11 de setembro de 2010

fusca tuning fusca tunado



fusca tuning3
fusca tuning 4fusca tuning 5fusca tuning 6fusca tuning 7fusca tuning 8fusca tuning 9

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

carros tunados carros tuning fotos de caros tuning



essas duas fotos foram retiradas de uma seleçao imensa de fotos e artigos tuning
 na minha opinião destacão como simples carros de rua podem se tranformar em poderosas maquinas com incriveis toques de personalidades
carros tunado

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

novo seat ibiza st versao 1.2



Seat Ibiza ST
Basta abrir o período para solicitar versão mais eficiente SEAT IbizaEm qualquer dos seus órgãos : Sports Coupé ( 3p) 5p e Sports Tourer (família ). Depois do verão as primeiras unidades CR Ecomotive 1,2 TDI 75 CV já estão disponíveis nas concessionárias .

Os Monitor 1.2 TDI CR de 75 cv e está disponível , mas não versão Ecomotive . A diferença é várias otimizações que se destinam a reduzir o consumo de diesel, padronizando um irrisório 3,4 l/100 km. Como qualquer Ibiza TDI, não pagam imposto de registo.

 seat
A velocidade máxima é ligeiramente superior ao normal em 1.2 TDI de aperfeiçoamentos aerodinâmicos, e não o rendimento no tempo de aceleração . Ele está em recuperação, onde os modelos Ecomotive são um pouco mais apressado, devido à evolução das artes , alongada, para salvar mais petróleo.

Leer más

A aerodinâmica do Ibiza Ecomotive tem um Cx de 0,30 , um valor muito bom. Eles são baseados em três versões: Reference, de modo a comparações de preços têm de ser feitas com essas versões. Sim, mas gastam menos, são mais carosEntão eles têm um maior maturidade.

Como treinador você dá a um parente, é claro que menos gastaram menos impacto sobre a economia, mas para você mesmo para fazer números. Vamos ter de fazer mais quilómetros para capitalizar o equivalente a gasolina, e também em relação aos não- TDI Ecomotive .

Na carroçaria de Referência Sports Coupé 1,2 TDI 15 157 € fora do Ecomotive em 15.818,10 . Ou seja, você paga € 661,1 mais caro para ser otimizada. A sobretaxa de 5p e ST é quase o mesmo. Os preços recomendados são :

SEAT Ibiza Ecomotive preços CR 1,2 TDI 75 cv Reference Ibiza 1,2 TDI Ecomotive SC - EUR 15.818,10 5p Ibiza Ecomotive Referência 1.2 TDI - 16.163,97 euros Ibiza Ecomotive ST Referência 1.2 TDI - 16.876,04 euros
Quanto às opções, tudo muito simples , como um carro da Ásia :

Confortdrive pacote ( faróis de nevoeiro com função de curvas + Cruise Control + espelhos aquecidos ) - 342,03 EUR Winter Package ( ejetores aquecido + + anilhas farol assentos dianteiros aquecidos ) - Navegador de Pré EUR 317,60 - EUR 48,86 Alloy Wheels Imogene 15 "- EUR 337,14 Pintura Custom Color - EUR 537,48 Pintura metálica - EUR 288,29 Pintura Branco / Amarelo Chrono - EUR 141,69
Em Motorpasión | SEAT lança o 1.2 TDI CR motor para Ibiza (Versão não- Ecomotive )

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

novidades do salão de genebra



Nissan March (Micra)
Outro daqueles modelos que já até cansaram de aparecer em detalhes antes da revelação oficial, o novo Micra deu as caras em Genebra, finalmente. A nova geração do compacto é a primeira pensada como um modelo global, mas nem isso aliviou seu jeitão pacato e humilde.

O Micra usa a nova plataforma V da Nissan e nasceu mais baixo, porém, com entreeixos maior que seu antecessor. NA Europa, terá motor 1.2 litro com apenas 3 cilindros seguindo a tendência de reduzir o tamanho dos motores iniciada pela indústria como um todo. Além da transmissão manual, haverá também uma CVT – graças a Deus, os japoneses não gostam do sistema automatizado.
 nissan

terça-feira, 7 de setembro de 2010

como trocar a correia dos Motores 2.0 16 válvulas Tempra 2.0 16V, Tipo 2.0 16V e Fiat Coupé

Motores 2.0 16 válvulas


Tempra 2.0 16V, Tipo 2.0 16V e Fiat Coupé

>>Condição de sincronismo

Quando o primeiro cilindro está em ponto morto superior - PMS (no final da fase de compressão), as marcas existentes nas polias dos comandos de válvulas devem estar alinhadas com as marcas existentes na tampa traseira da correia dentada (figura 2).

>>Procedimento para verificação do sincronismo da correia.

Movimente manualmente o motor de modo que as marcas existentes na polia do virabrequim alinhem-se simultaneamente com a referência existente na capa da correia dentada e com o sensor de rotação (figura 1);

Remova as correias auxiliares da direção hidráulica, do alternador e do compressor do ar condicionado (se existirem);

Retire a polia do virabrequim (roda fônica);

Retire o suporte da bieleta, a polia da bomba d`água e a tampa protetora da correia dentada;

Gire manualmente o motor de modo que as referências existentes nas polias dos comandos, alinhem-se com as marcas existentes na tampa traseira da correia dentada (figura 2);

Nessa condição, a marca existente na engrenagem do virabrequim, alinha-se com a referência existente no bloco do motor (figura 3);

Nos veículos Tempra 2.0 16V (93 a 94), Tipo 2.0 16V e Coupé, que possuem distribuidor de ignição, confira também o posicionamento do mesmo. Com a correia dentada em sincronismo (conforme itens 5 e 6), o rotor de ignição deve apontar para a marca de referência (figura 5). Se o posicionamento não estiver correto, solte os parafusos de fixação do distribuidor e reposicione-o;

Caso seja verificado sincronismo incorreto ou se deseje substituir a correia dentada, execute o procedimento a seguir.

>>Procedimento para substituição da correia

Com a correia dentada já exposta e sincronizada (conforme descrito anteriormente nos itens 5, 6 e 7), solte a porca do tensionador e retire a correia. Evite movimentar bruscamente o virabrequim. Lembre-se de que sem a correia, há risco de colisão entre os pistões e as válvulas;
Instale a correia nova, começando pela engrenagem do virabrequim e tomando o máximo cuidado para não perder o correto sincronismo;


Tensione a correia dentada utilizando-se da ferramenta específica para tensionamento (figura 4). Esta ferramenta é uma alavanca graduada com contrapeso móvel. A ferramenta deve ser instalada com o contrapeso de tensionamento posicionado na marca de 100 mm da escala contida na alavanca (figura 4);

Com a ferramenta instalada no tensionador, dê cuidadosamente dois giros manuais no motor (no sentido horário);

Mantenha a ferramenta de tensionamento instalada e aperte a porca de fixação do tensionador (torque de aperto 45 N.m ou 4,5 Kgf.m);

Gire manualmente o motor e confira a condição de sincronismo da correia (figuras 2 e 3);

Se tudo estiver OK, reinstale o que foi retirado;

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

troca de correia Motores 2.0 8 válvulas Tempra SW, Tipo 2.0 8V e Tempra ie 8V

Motores 2.0 8 válvulas


Tempra SW, Tipo 2.0 8V e Tempra ie 8V

>>Condição de sincronismo da correia dentada

Quando o primeiro cilindro está em ponto morto superior - PMS (no final da fase de compressão), as marcas existentes nas polias dos comandos de válvulas devem estar posicionadas de maneira simétrica aos furos de referência. Estes furos estão localizados na tampa traseira da correia dentada (figura 2).

>>Procedimento para verificação do sincronismo da correia dentada

Movimente manualmente o motor de modo que as marcas existentes na polia do virabrequim alinhem-se simultaneamente com a referência existente na capa da correia dentada e com o sensor de rotação (figura 1);

Remova as correias auxiliares da direção hidráulica, do alternador e do compressor do ar condicionado (se existirem);

Retire a polia do virabrequim (roda fônica);

Retire a tampa protetora da correia dentada;

Gire manualmente o motor de modo que as referências existentes nas polias dos comandos, alinhem-se de maneira simétrica aos furos de referência existentes na tampa traseira da correia dentada (figura 2);

Nessa condição, a marca existente na engrenagem do virabrequim, alinha-se com a referência existente no bloco do motor (figura 3);

Nos veículos Tempra SW e Tipo 2.0 8V, que possuem distribuidor de ignição, confira também o posicionamento do mesmo. Com a correia dentada em sincronismo (conforme itens 5 e 6), o rotor de ignição deve apontar para a marca de referência (figura 5). Se o posicionamento não estiver correto, solte os parafusos de fixação do distribu-idor e reposicione-o;

Caso seja verificado sincronismo incorreto ou se deseje substituir a correia dentada, execute o procedimento a seguir.

>>Procedimento para substituição da correia

Com a correia dentada já exposta e sincronizada (conforme descrito anteriormente nos itens 5, 6 e 7), solte a porca do tensionador e retire a correia. Evite movimentar bruscamente o virabrequim. Lembre-se de que sem a correia, há risco de colisão entre os pistões e as válvulas;Instale a correia nova, começando pela engrenagem do virabrequim e tomando o máximo cuidado para não perder o correto sincronismo;


Tensione a correia dentada utilizando-se da ferramenta específica para tensionamento (figura 4). Esta ferramenta é uma alavanca graduada com contrapeso móvel. A ferramenta deve ser instalada com o contrapeso e o peso adicional de tensionamento posicionados na marca de 140 mm da escala contida na alavanca (figura 4); Com a ferramenta instalada no tensionador, dê cuidadosamente dois giros manuais no motor (no sentido horário);


Mantenha a ferramenta de tensionamento instalada e aperte a porca de fixação do tensionador (torque de aperto 45 N.m ou 4,5 Kgf.m);

Gire manualmente o motor e confira a condição de sincronismo da correia (figuras 2 e 3);

Se tudo estiver OK, reinstale o que foi retirado;

como trocar a correia dos Motores 1.8 16 válvulas Brava HGT 1.8 16V

como trocar a correia dentada do marea 1.8 16v
fasagem do ponto da mareia 1.8 16 v
Motores 1.8 16 válvulas
Brava HGT 1.8 16V, Marea 1.8 16V e Marea Weekend 1.8 16V

>>Condição de sincronismo da correia dentada
Quando o primeiro cilindro está em ponto morto superior - PMS (no final da fase de compressão), as ferramentas de fasagem dos eixos comandos de válvulas devem se encaixar perfeitamente nos mancais correspondentes (figura 2). A verificação do PMS do 1º cilindro pode ser feita observando-se o alinhamento da marca existente na polia do virabrequim, com a referência da capa de proteção da correia dentada (figura 1).
>>Procedimento para verificação do sincronismo da correia dentada.
Retire a tampa de proteção das bobinas de ignição, as bobinas de ignição e a tampa de válvulas;
Com os eixos comandos de válvulas já expostos retire: - No eixo comando de admissão, a capa do mancal correspondente ao segundo cilindro. É a terceira capa contada a partir da polia (figura 2). - No eixo comando de escape, a capa do mancal correspondente ao terceiro cilindro. É a terceira capa contada a partir da polia (figura 2). Atenção! Marque as capas dos mancais retiradas e seus respectivos posicionamentos. Elas não podem ser invertidas porque possuem posição única de montagem;
Gire manualmente o motor, até que o perfil das ferramentas de fasagem dos eixos comandos de válvulas possa ser encaixado, com perfeição, nos alojamentos dos mancais mencionados (figura 2). As ferramentas de fasagem têm um formato semelhante ao das capas dos mancais dos comandos. Porém são mais largas (espessas). A ferramenta na qual está gravada a letra A, deve ser encaixada no comando de admissão. A ferramenta na qual está gravada a letra S, deve ser encaixada no comando de escape (vide figura 2);
Nessa condição, a marca existente na polia do virabrequim deve alinhar-se com a referência existente na capa da correia dentada (figura 1);
Caso seja verificado sincronismo incorreto ou se deseje substituir a correia dentada, execute o procedimento a seguir.
>>Procedimento para substituição da correia
Com a correia dentada sincronizada (conforme
descrito anteriormente nos itens 2, 3, e 4), retire a correia poli-V;



Confira minuciosamente o sincronismo do motor (figuras 1 e 2);

Retire a tampa protetora da correia dentada;

Retire a polia do virabrequim (cuidado para não girar a árvore de manivelas e perder o sincronismo!);

Solte a porca de fixação do tensor da correia dentada (figura 3) e remova a correia. Evite movimentar o virabrequim. Lembre-se de que sem a correia, há risco de colisão entre os pistões e as válvulas;Com o auxílio de uma ferramenta de travamento (figura 4), afrouxe os parafusos das polias dos comandos. Feito isso, pode-se observar que há uma folga entre os rasgos e as chavetas das mesmas. Com as polias livres, gire-as manualmente no sentido horário até o final do curso da folga;


Instale a correia nova no sentido anti-horário, começando pela engrenagem do virabrequim. Observe ainda, o lado de instalação da correia. As setas gravadas na mesma devem ficar direcionadas para o sentido de rotação do motor. No ato da instalação tome o máximo cuidado para não perder o sincronismo;

Tensione a correia dentada. Para isso, force o tensionador de modo que o mesmo atinja a posição normal de tensionamento (figura 3). Feito isso, aperte a porca de fixação do tensionador (torque recomendado 25 N.m ou 2,5 Kgf.m);

Utilizando-se da ferramenta de travamento, aperte as polias dos comandos (torque recomendado: Polia de escape 120 N.m ou 12Kgf.m; Polia de admissão 10 N.m ou 1 Kgf.m - cada parafuso - vide figura 4);

Retire as ferramentas de fasagem e reinstale as capas dos mancais (torque recomendado 20 N.m ou 2 Kgf.m);

Reinstale a polia do virabrequim ou roda fônica (torque recomendado 30 N.m ou 3 Kgf.m - cada parafuso);

Reinstale a tampa protetora da correia dentada;

Dê dois giros manuais no motor e confira as condições de sincronismo e tensionamento da correia (figuras 1, 2 e 3);

Se tudo estiver OK, reinstale o que foi retirado;

como trocar a correia dentada do Pálio 1.6 16V, Weekend 1.6 16V, Strada 1.6 16V,



Motores 1.6 16 válvulas
Pálio 1.6 16V, Weekend 1.6 16V, Strada 1.6 16V, Brava 1.6 16V e Siena 1.6 16V
troca de correia palio 1.6 16
;Condição de sincronismo da correia dentada
Quando o primeiro cilindro está em ponto morto superior - PMS (no final da fase de compressão), os rasgos existentes na parte traseira dos eixos comandos de válvulas devem se encaixar perfeitamente nos ressaltos das ferramentas de alinhamento (figura 2).
>>Procedimento para verificação do sincronismo da correia dentada
Retire a bobina de ignição e as tampas traseiras dos eixos comandos de válvulas;
Gire manualmente o motor, de modo que os rasgos existentes na parte traseira dos eixos comandos de válvulas se encaixem perfeitamente nos ressaltos das ferramentas de alinhamento (figura 2);
Nessa condição, as marcas existentes na polia do virabrequim devem alinhar-se simultâneamente com a referência existente na capa da correia dentada e com o sensor de rotação (figura 1);
troca de correia palio 1.6 1610
Caso seja verificado sincronismo incorreto ou se deseje substituir a correia dentada, execute o procedimento a seguir.
>>Procedimento para substituição da correia
Com a correia dentada sincronizada (conforme descrito anteriormente nos itens 2 e 3), retire as correias auxiliares da bomba da direção hidráulica, compressor do ar condicionado e alternador (se existirem);
Remova a proteção inferior do volante e posicione a ferramenta específica para travamento da árvore de manivelas (figura 3);
Com a árvore de manivelas travada, solte a porca de fixação da polia do virabrequim (roda fônica) e retire-a;
Retire a tampa protetora da correia dentada;
Solte a porca de fixação do tensor da correia dentada (figura 4) e remova a correia;
Com o auxílio de uma ferramenta de travamento (figura 5), afrouxe os parafusos das polias dos comandos. Feito isso, pode-se observar que há uma folga entre os rasgos e as chavetas das mesmas. Com as polias livres, gire-as manualmente no sentido horário até o final do curso da folga;
110
180 N.mInstale a correia nova no sentido anti-horário, começando pela engrenagem do virabrequim;
Tensione a correia dentada. Para tensioná-la, utilize uma ferramenta específica que deve ser instalada no lugar do parafuso existente acima do tensionador (figura 4). Force a ferramenta contra o tensionador de modo que o mesmo atinja a posição normal de tensionamento (figura 6). Feito isso, aperte a porca de fixação do tensionador (torque recomendado 25 N.m ou 2,5 Kgf.m);
Utilizando-se da ferramenta de travamento, aperte as polias dos comandos (torque recomendado 110 N.m ou 11 Kgf.m - figura 5);
Reinstale a polia do virabrequim ou roda fônica (torque recomendado 180 N.m ou 18 Kgf.m);
Remova a ferramenta utilizada para tensionamento, a ferramenta de fixação da árvore de manivelas (instalada no volante do motor) e a ferramentas de sincronismo dos eixos comandos;
Dê dois giros manuais no motor e confira as condições de sincronismo e tensionamento da correia (figuras 1, 2 e 6);
Se tudo estiver OK, reinstale o que foi retirado;


troca de correia da fiat Motores 1.6 8 válvulas

Motores 1.6 8 válvulas
Palio 1.6 IE 8V, Siena 1.6 IE 8V, Tipo 1.6 IE 8V e Tipo 1.6 MPI 8V
motor 1.8
>>Procedimento para verificação do sincronismo da correia dentada
Para que seja possível a visualização da referência de sincronismo do eixo comando de válvulas, abra a janela existente na parte superior da capa de proteção da correia dentada - figura 1;
Com a janela aberta, gire manualmente o motor até que a marca existente na polia do eixo comando alinhe-se com a referência da proteção da correia- figura 2;
Nessa condição o primeiro cilindro deve encontrar-se no ponto morto superior PMS. O PMS do primeiro cilindro pode ser verificado pelo alinhamento do rasgo de chaveta da engrenagem do virabrequim com a referência existente no flange dianteiro do bloco do motor - figura 3. A visualização da engrenagem do virabrequim só é possível após a retirada da capa de proteção da correia dentada, conforme explicaremos a seguir.
Caso seja verificado sincronismo incorreto ou se deseje substituir a correia dentada, faça o procedimento a seguir.
>>Procedimento para substituição da correia
motor 1.81
Posicione o veículo em um elevador automotivo;
Retire a roda dianteira direita e o protetor interno ao pára-lama;
Alivie a tensão das correias auxiliares e retire-as;
Remova a proteção inferior do volante e posicione a ferramenta específica para travamento da árvore de manivelas (figura 4);
Com a árvore de manivelas travada, solte a polia do virabrequim (roda fônica) e retire-a;
Retire a capa de proteção da correia dentada;
Confira atenciosamente o sincronismo da correia (figuras 2 e 3);
Com a correia sincronizada, solte a porca de fixação de seu tensionador e remova a correia;
Instale a nova correia no sentido anti-horário, começando pela engrenagem do virabrequim. Deixe a parte mais folgada junto ao tensionador;
Tensione a correia obedecendo ao método prático de tensionamento (vide item tensionamento da correia dentada). Aperte a porca de fixação do tensionador com um torque de 25 N.m (2,5 Kgf.m);
:.Retire a ferramenta de travamento da árvore de manivelas;


Dê dois giros manuais no motor (voltas completas) e confira as condições de sincronismo e o tensionamento o

da correia dentada (figuras 2 e 3). Se for necessário efetue ajustes;

Reinstale tudo o que foi retirado. Torque recomendado para a polia do virabrequim: 130 N.m (13 Kgf.m).
motor 1.82
 
motor 1.83