anuncio

anuncio

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

troca de correia motor F3N e F3P RENAUT 19


Diante da importância de tal item na manutenção do carro, desenvolvemos esse artigo. Este artigo se aplica exclusivamente aos motores 1.8 (F3N e F3P). A correia dentada de distribuição é um elemento vital para o motor.
É a que sincroniza o abrir e fechar das válvulas no momento exato. É óbvio que sem a correia o motor não funcionará, pode haver rompimentos das válvulas (com sorte), e com má sorte, se rompem os pistões, bielas, etc… Isto se deve a fato que, dentro da câmara de combustão, pistões e válvulas compartilham um mesmo espaço, pelo que não devem se encontrar jamais. A correia de distribuição também comanda a bomba de água, responsável pela circulação do sistema de arrefecimento.
Deve substituir a correia dentada de distribuição a cada 60.000 Km segundo a guia de manutenção preventiva da Renault, mas é recomendável numa manutenção preventiva trocá-la a cada 50.000 Km, não se perde nada e se tem maior tranqüilidade.
A correia de acessórios não possui um intervalo de mudança definida, o recomendado é sempre verificar o estado da mesma e se for trocar a correia dentada de distribuição, trocar junto a correia de acessórios, isso é o que é recomendado e mesmo assim existem pessoas que não trocam nenhum ou não respeitam a kilometragem recomendadas pelos fabricantes.
Também pode ser necessário substituir algum tensor da correia dentada de distribuição, por segurança esses tensores deveriam ser trocados a cada 100.000 Km, ou seja, cada duas mudanças de correia, mas pode ser necessário os substituir antes já que se acostuma a comercializar materiais péssima qualidade, por isso a utilização de peças originais ou de fabricantes de marcas consagradas para evitar esse transtorno. Mais adiante iremos falar mais de tensores.
Materiais Necessários:
  • Correia dentada de distribuição: (R$40,00 valor médio na Importadora RR Parts);
  • Tensores: A correia de distribuição leva dois tensores, um fixo e um móvel. Os valores sugeridos estão entre R$45,00 e R$60,00. O recomendado é comprar tensores fabricados com rolamentos SKF, que são duráveis e confiáveis ou outro de boa qualidade;
  • Correia de acessórios: (R$35,00 valor médio na Importadora RR Parts). Não é tão importante a marca desta correia, uma boa marca é DAYCO, que é fabricada na Argentina sob normas de qualidade ISO9001. Recordem aclarar o modelo e equipamento de seu veículo, já que o tamanho de correia varia se o auto possui ar acondicionado ou direção hidráulica.
  • Chaves tipo tubo em várias medidas:10mm, 13mm, 16mm, 18mm e 19mm;
  • Chave ponta Torx-20;
  • Chave de fenda bem grande;
  • Um suporte para sustentar o veículo;
  • Muitos trapos e;
  • Algum desengraxante ou limpa motores.
Chega de papo e vamos começar! Abram o capô (isso é fácil).
Aí já têm à vista a correia de acessórios que fica presa ao alternador e compressor do ar condicionado.
Para retirá-lo afrouxem o parafuso de 16mm que sustenta um extremo do alternador, e depois o outro de 13mm. Agora com uma chave de 10mm vão afrouxando o parafuso longo que é o que em realidade tensa a correia. Não entenderam? Quando forem trocar e olharem pessoalmente todo o sistema vão entender, é fácil.
Uma vez que a correia afrouxou, devemos retira-la por completo.
A correia dentada de distribuição não se encontra à vista, há uma capa que a protege dentro de um cárter para evitar que a estrague devido ao contato com terra, pedras, óleos, graxas ou combustíveis. Primeiro tiraremos a tampa superior da proteção.
São quatro parafusos com cabeça de 10mm, e seu acesso é bastante apertado, necessitando de uma chave pequena e uma certa paciência.
Aí está, sem a capa de proteção, onde podemos enxergar a polia da árvore e o tensor móvel.
A partir dessa etapa começa a ficar um pouco mais complicado é preciso força de vontade e ânimo em continuar. Se o seu propósito era apenas verificar o estado da correia nessa etapa já dá para avaliar, mas como esse artigo é sobre a troca iremos continuar.
Levante o veículo do lado esquerdo e retirem a roda. Como digo sempre, não confiem no no macaco, coloquem um suporte para sustentar o veículo. Depois, retirem a proteção de plástico, conhecido por “parabarro dianteiro”, esta proteção esta presa por um par de parafusos cabeça Torx-20 e com outro de 10mm à carrocería do veículo.
Antes de afrouxar qualquer coisa, devemos colocar o motor em sua posição de Ponto Morto Superior (PMS), mais conhecido como “ponto morto”. Tomem a chave de 19mm e comecem a girar o motor em sentido horário (esse é o sentido de giro do motor, o recordem, sentido horário da esquerda para direita). Quanto girar? Até que as marcas que possui a polia da árvore e a marca que tem o cárter que está presa esta polia se alinhem. Para entender melhor olhem a foto:
As marcas geralmente não vêm pintadas, somente se vê uma marca, se não estiver enxergando as marcas, use um produto de limpeza para deixar a área mais nítida, já que é importante as ter bem à vista em todo momento.
Já conseguida a posição de PMS, devemos recorrer à ajuda de outra pessoa, porque para afrouxar e para isso devemos bloquear o motor, caso contrário este giraria. Existem vários métodos:
  • Um é colocar a chave de 19mm na engrenagem e a fazer travar na carroceria do carro, logo lhe dar um toque na partida do veículo, com isso fica afrouxado. Este método parece-me perigoso para principiantes.;
  • O outro é engatar o carro em 4ª marcha, pedir a alguém que mantenha o freio pressionado a fundo, e começar a afrouxar a mão com a chave. Acredito que mesmo com o freio pressionado e estando em 4ª marcha o motor se move um pouco.
  • O mais recomendável é colocar uma chave de fenda bem grande na roda dentada, desta forma o motor fica travado firmemente. Olhem a foto para entender melhor.
Pedir a alguém que sustente a chave em dita posição e afrouxe a engrenagem.
Uma vez que se afrouxa (isso pode levar muito tempo e esforço), a polia cai diretamente.
Pronto, pode ficar mais tranquilo, daqui em diante o trabalho ficará mais fácil!
Devem tirar a tampa plástica inferior que ainda cobre duas polias e o tensor fixo. São 3 parafusos de 10mm, mas se os anteriores estavam um pouco inacessíveis, estes estão ainda pior! Igualmente podem-se retirar, com um pouco de paciência vão chegar à situação que aqui podem ver na foto:
Mas adiante falaremos sobre o que se deve fazer se a quantidade de gordura e óleo é abundante.
Mas por agora procederemos a tirar a correia dentada de distribuição. Antes de afrouxar o tensor móvel, comprovar que o motor siga estando em sua posição de “ponto morto”. Caso não esteja, precisa corrigir essa posição.
Afrouxar o tensor, este preso por uma porca de 16mm. Tirar a porca e depois o tensor.
Sendo assim, a correia se afrouxa e sai muito facilmente.
Falemos um pouco dos tensores… Estes costumam apresentar dois sintomas devido a uma mesma causa; que façam ruído quando o motor esta frio, ou que se travem e cortem a correia.
Ambos problemas se devem a sujeira que penetram em seu interior, deteriorando a lubricación interna. Para saber se um tensor esta bem, façam-no girar com a mão. Se é impossível movê-lo, esta travado, atirem-no. Se gira facilmente mas em seu interior sente-se ruído, como se fossem grãos de areai raspando, troque-os também. O movimento do tensor deve ser suave e sem ruídos, não deve girar muito facilmente, isto é, deve ter pouca inércia.
Se a quantidade de gordura pela zona onde deve estar a correia é abundante, se deve proceder a uma limpeza, já que o óleo, graxa e combustíveis diminuem consideravelmente a vida da correia. Podem fazer a limpeza utilizando limpa motores ou algum outro desengraxante poderoso. Seria mais que interessante também conhecer a causa, do porquê de tanta gordura nessa zona, possivelmente se deva a alguma junta (de tampa de válvulas ou do cárter) ou retentor que não esta cumprindo sua função.
Se pensam em trocar o tensor fixo, façam-no agora, já que deve estar colocado quando colocaremos a nova correia. Diferentemente do móvel, o qual se coloca depois de passar a correia. Procederemos agora a colocar a nova correia.
Como sempre, verificamos que a polia da árvore siga em sua posição de “ponto morto”. Existe uma forma de conferir. Segue a foto:
Que a marca que esta na tampa de plástico seja bastante larga, indica que existe certa tolerância para o ponto da distribuição, assim que se assegurem de que ambas marcas coincidem. Em caso que não o façam, devem girar o motor lentamente empurrando a coroa dentada. Vai ver que se move muito facilmente.
Agora vem a outra parte complicada, colocar a nova correia. Comecem a calçá-la através de todo seu percurso, observando que as marcas das polias se mantenham em seu lugar.
MUITO IMPORTANTE: Se observarem a correia, verão que tem desenhadas umas setas que indicam o sentido de giro que deve ter. Como disse antes, o motor gira em sentido horário, e essas setas deverão acompanhar este sentido horário.
Colocar a correia com a mão, ou seja, pressioná-la na zona onde deveria ir o tensor móvel, por que? Porque seguramente alguma das polias vai sair do ponto, então devemos tirar a correia e acomodar a polia que se moveu. Repetir este passo até que fique tudo como recomendado nos passos anteriores aqui citados.
Fazer alavanca para dentro com a chave de fenda, de maneira de esticar a correia. Uma vez que se sente esticada, fixar o tensor ajustando seu porca, tal qual é ilustrado na foto abaixo:
Tensão da correia: Para saber se demos-lhe uma tensão adequada, façam como vêem na foto: girem a correia sobre si mesma em seu trecho mas longo. Deveria girar um ângulo de 90º. Se gira mais é porque demos-lhe pouca tensão, se gira menos é porque demos-lhe demasiada. Veja a foto abaixo:
Se damos-lhe demasiada tensão, ao pôr o motor em marcha vamos ouvir um notório ruído que se faz mais notável às 3.000 RPM. Se ouvirem esse ruído estranho, procedam a afrouxar um pouco a correia.
Se demos-lhe pouca tensão, ao acelerar e desacelerar o motor vamos ouvir ela vibrar. Isso indica que esta frouxa, assim é necessário ajustarmos um pouco.
A fase final, verificar que tenha ficado bem feito o ponto da distribuição. Com a chave de 18mm, faça girar o motor através da polia da árvore. Deve-se girar o motor em sentido horário.
Dar-lhe duas voltas completas e verificar as marcas, conferir se estejam dentro da tolerância indicada. Se não estiver certo, refazer o ajuste.
Colocar a tampa plástica inferior. Devemos bloquear o motor novamente para ajustar a polia.
Pedir a alguém que sustente a chave de fenda bloqueando o giro do motor, e com toda a força do mundo, ajustar a fixação do parafuso. Se não ficar bem ajustado, a polia vai patinar. Notaremos isso porque vai acender a luz da bateria devido que o alternador não estará girando.
Falta agora colocar a correia de acessórios. É um pouco mais fácil que a correia dentada do motor. Passem a correia de acessórios por todo seu percurso, tal como vêem na foto:
Ajustar a correia de acessórios no alternador pode custar um pouco, devido que a correia nova não está muito esticada ainda. Se não entra por nada, afrouxe o parafuso que sustenta o alternador e aí se deveria entrar facilmente. Uma vez que entro, voltem a colocar o parafuso. Não o ajustem ainda.
Por meio do parafuso longo de 10mm, comecem a esticar e ajustar a correia. Uma vez tensa, ajustem o parafuso de 16mm e depois o de 13mm.
Faça igual a correia dentada de distribuição, a forma de saber se está tensa é fazendo um giro de 90º em seu trajeto mais longo. Se girar mais de 90º está frouxa, se gira menos, demos-lhe demasiada tensão.
Se demos-lhe demasiada tensão, ao usar o veículo vamos notar que está mais “pesado”, ou seja, que responde menos. Neste caso devemos proceder aliviando a tensão da correia.
Se demos-lhe pouca tensão, ao acelerar, utilizar o ar condicionado, a direção e etc., ouviremos um “grito” da correia que indica que está patinando. Se a correia patinar mas tivermos a certeza absoluta de ter-lhe dado a tensão adequada, deve-se verificar as polias ou a mesma correia se não se encontra enroscada, ou prendendo em algum ponto ou até mesmo danificada.
Para finalizar, devemos colocar a roda dianteira novamente e sair e dar umas voltas, verificando que a correia não patine e que não se escutem ruídos estranhos.
Atenção: se notarem o motor estranho, deve-se verificar se a correia de distribuição ficou bem colocada e esteja no ponto.
Se tudo ocorrer bem, pronto, trabalho terminado!!! Caso queira confirmar, só peça para seu mecânico de confiança com o uso de uma aparelhagem adequada para verificar o ponto. Mas isso é opcional, se tudo for feito da forma recomendada não é necessário.


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

troca de correia renaut master Motores 2.5 e 2.8 Diesel




Motores 2.5 e 2.8 Diesel
Citroën: Jumper 2.8; Fiat: Ducato 2.5 e Ducato 2.8; Iveco: Daily 2.5 e Daily 2.8; Peugeot: Boxer 2.8; Renault: Master 2.5 e Master 2.8
>>Procedimento para verificação do sincronismo do motor
:.
Vista geral da correia dentada
Retire as correias dos órgãos auxiliares (alternador, ar condicionado etc);
Retire as capas de proteção superior e inferior da correia dentada;
Com a correia já exposta gire manualmente o motor (no sentido de rotação) até que o furo existente na polia da bomba injetora alinhe-se com o guia existente na capa traseira da polia - figura 1. Com os furos já alinhados, insira o pino para fasagem da bomba injetora - figura 1;
Nessa condição, as marcas existentes na polia do virabrequim e na polia do eixo comando de válvulas devem alinhar-se com as referências correspondentes (figuras 2 e 3);
Caso seja verificado sincronismo incorreto ou se deseje substituir a correia, faça o procedimento a seguir.
>>Procedimento para substituição da correia
Com o motor devidamente sincronizado, conforme descrito no item anterior (figuras 1, 2 e 3), efetue o procedimento a seguir:
Trave o volante do motor e retire a polia do virabrequim. Atente para não perder o sincronismo (figuras 1, 2 e 3);
Para possibilitar a retirada da correia, comprima o êmbolo do pistão do tensionador e trave-o nessa posição. Para comprimir o êmbolo faça uma alavanca em sua extremidade com o auxílio de uma chave de fenda
:.
Figura 1
(figura 4). Para travar o êmbolo utilize uma ferramenta especial (figura 4);
Retire a porca central e a capa do tensionador (figura 4);
Afrouxe a porca da base do tensionador, sem retirá-la;
Alivie a tensão do tensionador sobre a correia e retire a correia;
Instale a nova correia no sentido anti-horário, começando pela engrenagem do virabrequim;
Instale a capa e a porca central do tensionador, sem apertá- la. Acople também, sem apertar, a polia do virabrequim com seu parafuso;
Retire o pino para fasagem da bomba injetora e destrave o
Pino para fasagem da bomba injetora
Referências para o sincronismo (na parte superior da polia)
Polia do eixo comando de válvulas (chavetada)
Rolamento auxiliar
Polia da bomba injetora
Referências para o sincronismo
Conjunto do tensionador (sob a capa)
Capa do tensionador
Referências para o sincronismo
Polia do virabrequim (chavetada)
Polia da bomba injetora
Furo para sincronismo alinhado com seu guia


volante do motor;
Dê dois giros manuais completos no motor;
Confira atenciosamente a condição de sincronismo do motor (figuras 1, 2 e 3). Se for necessário efetue ajustes;
Aperte a porca central e a porca da base do tensionador
(figura 4);
Reinstale tudo o que foi retirado. Os torques recomendados são: - Parafuso da polia do virabrequim: 200 N.m ou 20 Kgf.m - Porca central do tensionador: 40 N.m ou 4Kgf.m - Porca da base do tensionador: 25 N.m ou 2,5 Kgf.m
:. :.
Figura 2
Figura 4 Porca da base do tensionador
:.
Figura 3
Tensionador
Capa do tensionador
Polia do eixo comando de válvulas
Porca central do tensionador
Referências para o sincronismo
Pistão do tensionador
Ferramenta para travar o pistão do tensionador. Quando está comprimido, o tensionador possibilita o alívio da tensão da correia
Polia do virabrequim
Referências para o sincronismo

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

esquema de instalação Sistema para automatização de vidros elétricos positron


CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS
• Fácil  e  rápida  instalação em  qualquer  veículo  nacional  ou
importado.
• Funções  programáveis  pelos  próprios  interruptores  dos
vidros elétricos.
• Não utiliza jumpers para configuração.
• Tempo de toque para automatizar programável.
• Compatível com descanço dos motores pelo negativo, positivo
ou misto.
• Compatível com alarmes Pósitron/Concept.
• Desce os vidros pelo alarme .
• Permite temporizar os vidros por 60 s. após desligar a ignição.
Caso  as  portas  sejam  fechadas  ou  abertas  antes  dos  60  s.  a
temporização da alimentação dos botões cessará imediatemente.
• Funções de segurança: a ignição deve estar ligada para automatizar
a subida dos vidros elétricos e o movimento dos vidros pode ser
interrompido segurando-os ou comandando os próprios
interruptores  dos  vidros  elétricos  no  sentido  oposto  ao  do
movimento.

baixe aqui o esquema de montagem

baixe o seu manual do fusca 1600 itamar completo



Você acaba de adquirir o fusca o carro mais querido do brasil
sua mecânica e simples e de fácil manutenção com pequenos ajustes troca de óleo
em intervalos regulares ele estará sempre em boas condições
siga sempre a risca os conselhos de como dirigir o seu fusca
e nas datas previstas para manutenção procure uma concessionaria
da rede autorizada



baixe aqui o seu manual do fusca 1600 itamar

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Fiat Punto Checklist v2.0


O primeiro modelo do Punto brasileiro surgiu no último trimestre de 2007 o qual apresentou uma série de problemas.
Entretanto, depois de mais de três anos em produção, a Fiat corrigiu boa parte dos problemas.
A lista de verificações abaixo é recomendada apenas os Puntos modelo 2011, porém não significa que os Puntos de outros
modelos não tenham características semelhantes a essa lista de verificação.
Antes de começar, vou resumir os problemas que os modelos 2007/2008, 2008/2008, 2008/2009, 2009/2010 e 2010/2010
tinham e aparentemente foram solucionados pela montadora.
Materiais, construção e acabamento resolvidos:
1 - Tampa plástica do braço de suporte do retrovisor externo: (Ela simplesmente se desprendia do nada e a Fiat já resolveu o
problema com uma nova cola)
2 - Tampa do porta luvas que não fechava corretamente: (Existem poucos relatos do problema que são facilmente corrigidos
na concessionária)
3 - pára-choques que dilatavam no calor: (Nunca mais foram vistos relatos desse problema)
4 - Máquina do vidro elétrico faz barulho na porta e apresenta queda: (O problema era com o mecanismo que possuía
defeito de fabricação, foi substituído e não apresenta mais problema)
5 - Alinhamento dos faróis e funcionamento das lâmpadas: (Problemas que ocorreram apenas na linha 2007/2008)
6 - Barulho tipo grilo no ventilador com ou sem ar condicionado (Problema de controle de qualidade de montagem da Fiat
que aparentemente foi resolvido após 2008)
7 - Alinhamento da lataria: (Incluía o capô, pára-lamas e outras peças como tampa do porta malas que vinham desalinhadas
em relação a estrutura do carro e já foram em boa parte resolvidas após 2008)
Problemas Mecânicos resolvidos:
1 - Potenciômetro do corpo de borboleta no antigo motor 1.8 GM: (Uma falha no mecanismo fazia com que o carro
apresentasse falhas e engasgadas entre 2000 e 3000rpm. O dispositivo foi e continua sendo substituído até hoje na garantia)
2 - Caixa de direção: (Em algumas unidades de Punto produzidas no ano de 2009 e no inicio de 2010 ao virar o volante eram
ouvidos estalos por defeito na caixa de direção ocasionando a substituição da mesma. A partir do modelo 2011 o problema
foi resolvido)
3 - Cabos de Ligação do câmbio: (Uma falha nos dispositivo de suporte dos cabos de seleção de marchas ocasionava o
desprendimento do cabo acarretando a impossibilidade de engate das marchas. A alavanca ficava solta e não era possível
desengatar ou engatar qualquer outra marcha. O problema foi em definitivo a partir do modelo 2010 do Punto)

domingo, 26 de agosto de 2012

troca de corrente de comando Motores Zetec Rocam 1.0 e 1.6


Motores Zetec Rocam 1.0 e 1.6

Courier 1.6 Rocam, Escort 1.6 Rocam, Fiesta 1.0 Rocam, Fiesta 1.6 Rocam, Ka 1.0 Rocam, Ka 1.6 Rocam

>>Fasagem e substituição da corrente sincronizadora

Para substituir e sincronizar a corrente dos motores zetec
rocam, o fabricante recomenda a retirada do motor.

Retirada da corrente

Com o motor na bancada (fora do veículo) proceda
da seguinte forma:

Drene o óleo lubrificante do motor;

Marque o sentido de rotação da correia poly-V e
retire-a;

Retire a polia da bomba D'água;

Com o auxílio de uma ferramenta apropriada trave à
polia do virabrequim e retire seu parafuso de fixação;

Retire o Carter. Caso o veículo possua ar
condicionado, retire o seu compressor. A não
retirada do compressor impossibilita a retirada
do Carter;

Retire o conjunto do pescador da bomba de
óleo juntamente com sua placa defletora;

Retire a bomba de óleo. Observe que um de seus
parafusos de fixação é mais curto. Respeite a sua
posição de montagem. Caso contrário, ocorrerá
contato entre um dos parafusos de fixação da
bomba de óleo e a corrente do motor;

Retire os cabos de velas e desconecte o conector do
sensor de fase (na tampa de válvulas);

Para facilitar a movimentação do motor, retire todas as
velas de ignição;

Retire a tampa de válvulas;

Gire manualmente o motor até que o par de elos
cobreados da corrente alinhem-se com a seta existente
na engrenagem do eixo comando (figura 1). Nessa
condição, o primeiro cilindro deve encontrar-se no
ponto morto superior-PMS, no final da fase de
compressão. O PMS do primeiro cilindro é indicado pelo
alinhamento do elo cobreado da corrente com a
referência existente na engrenagem do virabrequim
(figura 2);

Com a corrente devidamente sincronizada (figuras 1 e
2) retire o seu tensionador (vide vista geral);

Com o auxílio de uma ferramenta apropriada, trave a
engrenagem do eixo comando e retire-a;

Retire a corrente. Sem a corrente, evite movimentar o
motor.

Instalação da corrente

Instale a nova corrente juntamente com a
engrenagem do eixo comando, respeitando os pontos
de sincronismo do motor (figuras 1 e 2).

Reinstale tudo o que foi retirado. Os torques
recomendados são:
- Engrenagem do eixo comando: 80 N.m (8 Kgf.m)
- Tensionador: 40 N.m (4 Kgf.m)
- Polia do virabrequim: 130 N.m (13 Kgf.m)

“CORRENTE DE DISTRIBUIÇÃO – ECOSPORT – MOTOR 2.0L


INSTALAÇÃO

1. Limpe as superfícies de contato da tampa dianteira do motor Loctite 7070. Gire o motor apenas na direção
normal de rotação.

NOTA:
Gire o motor até que o êmbolo nº 1 esteja aproximadamente a 60 graus antes do TDC.

2. Instale a ferramenta especial.

Nesta fase, não aperte o parafuso de fixação da roda da
árvore. Certifique-se de que as rodas dentadas giram
livremente nas árvores de comando.

CUIDADO

Segure as árvores de comando pela parte sextavada com
uma chave de boca para evitar que as mesmas girem.

CUIDADO
Instale as duas rodas dentadas da árvore de comando e a
corrente de distribuição.

3. Ajuste a tensão da corrente de distribuição.
• Aplique uma pressão ao tensionador da corrente de
distribuição de modo que o pino possa ser removido.

Segure as árvores de comando pela parte sextavada com
uma chave de boca para evitar que as mesmas girem.

CUIDADO
Aperte os parafusos de fixação da roda dentada da árvore de
comando.

Instale a tampa dianteira do motor dentro do prazo de 10
minutos após a aplicação do composto vedador de silicone.

NOTA
Aplique um filete de composto vedador de silicone de 3 mm na
tampa dianteira do motor.

4. Instale a tampa dianteira do motor (para facilitar a visualização,
o motor foi removido).

• Aperte os parafusos na seqüência mostrada.

• Parafusos 1 a 8: 10Nm

• Parafusos 9:48 Nm

• Parafusos 10 a 19:10 Nm

• Parafusos 20 a 22:48 Nm

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Troca da corrente sincronizadora: Classe A 160 e A 190


Procedimento de troca da corrente sincronizadora mercedes classe A 160 e A 190.
- Nos veículos Mercedes classe A, a fasagem do motor (ponto) é efetuada por uma
corrente sincronizadora. Com o tempo podem surgir ruídos ocasionados pelo aumento do
perímetro (comprimento) dessa corrente ou devido ao mau funcionamento de seu
tensionador hidráulico. Esse ruído assemelha-se ao que ocorre quando a correia poly-V
está excessivamente tensionada.
- Antes de se decidir pela troca da corrente é recomendada à limpeza interna de seu
tensionador e alojamento (o tensionador pode ser facilmente desmontado) - Figura 1.
- O procedimento convencional de substituição da corrente sincronizadora dos motores
dos veículos Mercedes Classe A, prevê a retirada do motor (estima-se o tempo de mais
de 12 horas para realização desse trabalho).
- A seguir, demonstraremos como sincronizar e substituir a corrente, sem retirar o motor.


Sincronismo da corrente do motor
- Retire a tampa de válvulas;
- Gire manualmente o motor até que a marca existente na engrenagem do eixo comando
de válvulas, alinhe-se com a referência existente na capa do mancal do primeiro cilindro
(figura 3);
- Nessa condição, o primeiro cilindro deve se encontrar no ponto morto superior-PMS, no
final da fase de compressão;
- Quando o primeiro cilindro encontra-se no PMS a marcação OT existente na polia do
virabrequim deve estar alinhada com a referência fixa existente na capa da corrente do
motor (figura 3). Em caso de dúvida confira o PMS do primeiro cilindro com o auxílio de
um relógio comparador.Substituição da corrente do motor
- Com o motor já em sincronismo e sem a tampa de válvulas, retire o tensionador
hidráulico de seu alojamento (figura 1);
- Remova cuidadosamente um dos elos da corrente velha (figura 2). Note que no Classe
A a corrente do motor não possui elos diferenciados (emendas);
- Mantenha a corrente velha já aberta (sem um de seus elos) posicionada nas
engrenagens do motor;
- Com o auxílio de um parafuso e uma porca apropriada conecte a corrente velha a
corrente nova (figura 2);
- Gire manualmente o motor até que a corrente nova passe pela engrenagem do
virabrequim e chegue a engrenagem do eixo comando (figura 4). Durante essa
movimentação atente para que não seja perdido o sincronismo do motor - ponto (a
corrente pode vir a pular alguns dentes das engrenagens). Caso isso ocorra, corrija o
sincronismo do motor;
- Desparafuse a corrente velha da corrente nova;
- Refaça (feche) a ligação da corrente nova. Para isso utilize (prense) o elo novo que foi
fornecido com a corrente (figura 5);
- Reinstale o tensionador hidráulico;
- Dê dois giros manuais no motor;
- Mais uma vez, revise os pontos de sincronismo (figura 3);



- Reinstale tudo o que foi retirado.

terça-feira, 31 de julho de 2012

curso de mecanica para mulheres

curso de mecanica para mulher


é isso ai agora disponibilizamos a você mulher um curso básico de mecânica de automóveis
exatamente direcionado a você
que não aguenta mais ouvir que mecânica e coisa de homem
e nem aguenta mais mandar seu marido levar seu carro na revisão
por não saber oque vai falar pro mecânico

não tenha mais vergonha a partir de hoje você vai dar um show em muito marmanjo no quesito
manutenção automotiva
é isso mesmo  nada de ficar sem jeito quando o mecânico perguntar de embreagem ,freio, suspençao, e muitos outros assuntos do seu carro
com esse curso base você vai ter uma boa instrução e poderá ter conversas seguras e confiáveis no quesito carro
e nunca mais passara vergonha e não fara mais papel de boba na frente dos outros

pense nisso!!!!!!!!!!




 faça agora uma doação simbólica de 5.00 reais pelo pagseuro e receba esse curso em seu email hoje mesmo aproveite e por pouco tempo


quinta-feira, 26 de julho de 2012

show de moto nova Moto Morini 1200


Moto Morini havia comunicado há algumas semanas o seu retorto iminente ao mercado. A empresa italiana com sede na cidade de Casalecchio di Reno, na província da Bologna, lançou um novo modelo com o nome de uma das melhoresmotos já produzidas no passado.
O modelo ressurgiu com o propósito de comemorar o 75º aniversário de fundação da marca.
A motocicleta Rebello 1200 Jubileu será equipada com motor 1200 cm³ e com 130 cavalos, sem falar no sistema de deslocamento de rabeta, que dá ao piloto a possibilidade de escolher entre pilotagem solo (apenas o piloto da moto), ou então com garupa. Serão produzidas apenas 600 unidades dessa motocicleta.
Anteriormente, a Moto Morini havia lançado um jogo em que seu modelo ia sendo revelado peça por peça, assim como em uma espécie de quebra-cabeça ou outro jogo de tabuleiro do mesmo gênero, até que chegasse o dia da revelação total da moto.
O valor de mercado da motocicleta será de aproximadamente 14 mil euros, o equivalente a R$ 33.650,00.
Aqueles que quiserem desfrutar o prazer de ter uma das 600 primeiras unidades produzidas terão que correr, pois após essas unidades serem vendidas a empresa italiana somente voltará a produzir a Rebello 1200 Jubileu em 2013.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

lançamento Mazda CX-7

O Mazda CX-7 domina a cidade Com as suas dimensões de SUV e uma postura baixa e agressiva, a silhueta deste SUV desportivo no horizonte é inconfundível. Desde o pára-brisas de inclinação acentuada até às novas jantes de alumínio, os contornos atléticos do Mazda CX-7 proporcionam-lhe uma presença poderosa na estrada. Por outro lado, embora o sentido estético seja evidente nos faróis dianteiros de nevoeiro e na gama de cores da carroçaria, com sete cores impressionantes à sua escolha, cada elemento do design foi também concebido para proporcionar uma excelente funcionalidade. Neste âmbito, a grelha de cinco pontos foi alargada para manter o novo motor diesel 2.2 MZR-CD refrigerado, enquanto que o grande spoiler traseiro do tejadilho foi concebido com vista a optimizar a aerodinâmica do veículo.



quarta-feira, 11 de julho de 2012

hyundai Sonata 2.0 impecavel


Com a chegada do Sonata 2011, o Grupo Caoa, responsável pela Hyundai no Brasil, precisará promover uma arrumação na casa, ou melhor, na tabela de preços. Com estimativa de estrear custando 84 000 reais, o Sonata brigaria com o preço praticado do Azera, hoje entre 80 000 e 90 000 reais. “São consumidores de perfil diferente. O do Sonata é mais jovem, portanto mais ligado em design. Já quem compra o Azera busca um carro mais clássico”, diz Carlos Alberto de Oliveira Andrade, presidente do Grupo Caoa. Ainda assim, ele próprio reconhece o risco de causar um momento de indecisão no seu cliente: “Aí vai do gosto de cada um, pois são modelos cuja única característica entre eles é o preço”. Vale lembrar que um Azera completamente renovado, modelo 2012, está prestes a entrar em produção na Coreia (março de 2011, segundo uma fonte ligada à Hyundai) e sua estreia no Brasil aconteceria ainda no primeiro semestre, com preço acima dos 84 000 reais do Sonata. E a ordem na tabela da Hyundai estaria restabelecida.



VEM AÍ O 2.0

Um Sonata 2.0 e com pacote de equipamentos mais modesto também foi homologado. A data de estreia ainda não está definida, mas acontece entre o fim de 2010 e início de 2011, a cerca de 72 000 reais, segundo uma fonte ligada ao importador.




DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO
A suspensão é muito boa. O problema está nos pneus de perfil baixo, que entregam na cabine todas as imperfeições do asfalto.
★★★

MOTOR E CÂMBIO
O conjunto trabalha silencioso e sem vacilos, mas o motor não se mostrou tão eficiente na relação desempenho/consumo quanto o 2.5 do rival Fusion.
★★★

CARROCERIA
Na “prova do pescoço”, o Sonata é imbatível: na rua, não há quem fique indiferente às linhas marcantes da carroceria.
★★★★

VIDA A BORDO
Se vier tão (ou mais) completo que a versão testada, será o mais luxuoso do segmento. Atrás, tem piso central com túnel baixo e saídas independentes de ar-condicionado.
★★★★

SEGURANÇA
A versão definitiva deverá contar com ABS, BAS, EBD, seis airbags e controles de tração e estabilidade.
★★★★

SEU BOLSO
Com o tempo (e o surgimento dos descontos), a nota neste quesito tende a melhorar. Destaque para a garantia de cinco anos.
★★★

sábado, 30 de junho de 2012

diagrama a correia dentada da Alfa Romeo 164 3.0 V6 24V Super


se voce quer trocar a correia do seu alfa Romeo  e economizar entre aqui
Observações:
A Montadora recomenda a troca da Correia dentada a cada 50,000Km.
Devem ser levadas em conta o uso prévio e a história de serviço do veículo.
Siga especificações para evitar danos ao motor.
Se a instalação da correia não for feita corretamente, poderá haver dano nos pistões e
válvulas.
A compressão de todos os cilindros deveria ser avaliada antes da remoção do cabeçote.
Precauções Especiais:
Desconecte o cabo terra da Bateria.
Remova as velas para aliviar a pressão do motor se ele tiver que ser girado.
Após remover a correia dentada não gire a árvore de manivelas nem o comando de válvulas.
Gire a árvore de manivelas no sentido normal de funcionamento (sentido horário).
Não gire a árvore de manivelas pelo comando de válvulas ou por qualquer outra polia.
Observe todos os torques.
Diagrama da correia dentada:



17 - Solte a porca da polia da arvore de manivelas.
18 - Retire os mancais do comando de válvulas referentes ao 1° cilindro.
19- Instale as ferramentas 1825040/2 DX S 1Cil para descarga e 1825040/1 CX A 1Cil para
admissão.



20 - No comando do lado esquerdo retire os mancais do 4° cilindro e acople a ferramenta
1825040/3 SX S 4 Cil no comando de descarga e a ferramenta 1825040/4 SX A 6 Cil para
admissão.

21 - Retire a polia da bomba da água e a polia da correia auxiliar.
22 - Retire a polia da Arvore de Manivelas.
23 - Utilize a ferramenta 1820273000 de tensionamento da correia dentada.

24 - Gire a
ferramenta até
que se possa encerir um pino 1820620000 no auto tensor.

25 - Retire a ferramenta de tensionamento e solte a porca da polia tensora.
26 - Remova a correia dentada.
27 - Com a ferramenta especifica 1860831003 solte o parafusos da engrenagem dos comandos
de válvulas.



quarta-feira, 27 de junho de 2012

fotos dos carrosusados

carrosusados para todos os gostos
super carros abandonados ou sucatas voce decide em sua epoca arrancaram suspiros e alavancaram a economia hoje sao tratados com lixo desvalorizados e abandonados aiiiiiiiiii coitado
carrosusados na rua