anuncio

anuncio

domingo, 26 de dezembro de 2010

como trocar a correia dentada do Renault: 19 1.8 8V, Laguna 2.0 8V e Trafic 2.0 8V

Motores 1.8 e 2.0  8 válvulas
Renault: 19 1.8 8V, Laguna 2.0 8V e Trafic 2.0 8V


Particularidades do procedimento
As principais particularidades do procedimento de troca da correia dentada desses veículos são:
A polia do eixo comando de válvulas e a engrenagem do virabrequim são chavetadas. Isso facilita o sincronismo e a troca da correia. Nesses veículos não há necessidade de utilização de ferramentas especiais para sincronizar o motor.
O tensionador da correia não possui referências para tensionamento. Por isso, a correia deve ser tensionada pelo método prático de tensionamento (vide item tensionamento da correia dentada).
Procedimento para verificação do sincronismo da correia dentada
Retire a capa de proteção superior da correia dentada (figura 1);
Gire manualmente o motor até que a marca existente na polia do eixo comando alinhe-se com a referência fixa existente na parte traseira da capa superior da correia (figura 2);
Nessa condição, o primeiro cilindro deve estar no ponto morto superior  PMS. Quando o primeiro cilindro encontra-se em PMS, a referência existente no volante do motor coincide com o zero grau gravado na carcaça da caixa de marchas (figura 3).
Caso seja verificado sincronismo incorreto ou se deseje substituir a correia dentada, execute o procedimento a seguir.
Procedimento para substituição da correia
Com a correia devidamente sincronizada (conforme descrito no item anterior), posicione o veículo em um elevador automotivo;
Retire a roda dianteira direita e o protetor interno ao pára-lama (figura 4);
Retire a correia poly-v; Certifique-se, mais uma vez, do correto
posicionamento do virabrequim e do eixo comando de válvulas (figuras 2 e 3);Retire o sensor de rotação e instale em sua base a ferramenta de travamento da árvore de manivelas (figura 5);
 Solte a polia do virabrequim e retire-a; Retire a capa de proteção inferior da correia; Com os eixos sincronizados (figuras 2 e 3), solte a
porca de fixação do tensionador da correia dentada e retire a correia. Evite movimentar bruscamente o eixo comando de válvulas. Lembre-se de que sem a correia, há risco de colisão entre os pistões e as válvulas;
Instale a nova correia no sentido anti-horário, começando pela engrenagem do virabrequim.
Tensione a correia obedecendo ao método prático de tensionamento (vide item tensionamento da correia dentada). Aperte a porca de fixação do tensionador com um torquede 50N.m (5 Kgf.m); Retire a ferramenta de travamento da árvore de
manivelas (figura 5); Dê dois giros manuais no motor e confira o
tensionamento e o sincronismo da correia (figuras 2 e 3). Se for preciso efetue ajustes;
Instale novamente a ferramenta de travamento da
Árvore de manivelas; Reinstale as capas de proteção da correia.
Reinstale a polia do virabrequim [torque recomendado: 100 N.m (10 Kgf.m)];
Retire a ferramenta de travamento; Reinstale tudo o que foi retirado.



segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

troca de coreia do Citroën : Berlingo 1.8 8V, Xantia 2.0 8V, Xm 2.0 8V, Xsara 1.8 8V, Zx 1.8 8V, Zx 1.9 8V, Zx 2.0 8V-

Motores 1.0, 1.6, 1.8, 1.9 e 2.0 - 8 válvulas
Citroën : Berlingo 1.8 8V, Xantia 2.0 8V, Xm 2.0 8V, Xsara 1.8 8V, Zx 1.8 8V, Zx 1.9 8V, Zx 2.0 8V-
Peugeot: 205 1.0 8V, 306 Xs 1.6 8V, 306 1.8 8V, 306 2.0 8V, 405 1.6 8V, 405 1.8 8V, 405 2.0 8V, 806 2.0 8V, Partner 1.8 8V


Particularidades do procedimento
As principais particularidades do procedimento de troca da correia dentada desses veículos são:
A polia do eixo comando de válvulas e a engrenagem do virabrequim são chavetadas. Isso facilita o sincronismo e a troca da correia.
O tensionador da correia não possui referências para tensionamento. Por isso, a correia deve ser tensionada pelo método prático de tensionamento (vide item tensionamento da correia dentada);
O ponto de sincronismo do virabrequim ocorre quando as ferramentas de fasagem (varetas) alinham-se na horizontal, estando o primeiro cilindro em movimento de subida e o segundo em movimento de descida (figura 3).
Procedimento para verificação do sincronismo da correia dentada
Retire as quatro velas de ignição (figura 1); Posicione o veículo em um elevador automotivo e
retire a proteção do cárter, a roda dianteira direita e o protetor interno ao pára-lama (figura 2);
Alivie a tensão da correia poly-v e retire-a; Retire a capa de proteção superior da correia; Introduza no orifício das velas do primeiro e
segundo cilindro, as ferramentas de Posicionamento (fasagem) do virabrequim (varetas) - figura 3;
Gire manualmente o motor (no sentido de rotação) até que as ferramentas de posicionamento do virabrequim alinhem-se perfeitamente na horizontal, estando o primeiro cilindro em movimento de subida e o segundo em movimento de descida (figura 3);
Observe se, nessa condição, o furo existente na polia do eixo comando alinha-se com o guia existente no cabeçote, tornando possível a perfeita instalação da ferramenta  de fasagem (pino de 8mm)-figura 4. Se o encaixe for obtido, a correia está corretamente sincronizada. Se não for possível

o acoplamento citado, dê mais uma volta completa no virabrequim.
Caso seja verificado o sincronismo incorreto ou se deseje substituir a correia dentada, execute o procedimento a seguir.
Procedimento para substituição da correia
Com a correia devidamente sincronizada e o veículo posicionado em um elevador automotivo  conforme descrito no item anterior (figuras 2, 3 e 4);
Remova a proteção inferior do volante do motor e posicione a ferramenta específica para travamento do virabrequim (figura 5);
Com a árvore de manivelas travada, solte o parafuso de fixação da polia do virabrequim e retire a polia; Retire a capa de proteção inferior da correia; Com a correia já exposta, confira atenciosamente
o sincronismo do eixo comando (figura 4) e o correto posicionamento do virabrequim (figura 3);
Com os eixos sincronizados, solte a porca de fixação do tensionador da correia dentada e retire a correia;
Instale a nova correia no sentido anti-horário, começando pela engrenagem do virabrequim;
Tensione a correia obedecendo ao método prático de tensionamento (vide item tensionamento da correia dentada). Aperte a porca de fixação do tensionador com um torque de 40 N.m (4 Kgf.m);
Retire a ferramenta de fasagem do eixo comando e a ferramenta de travamento do virabrequim;
Dê dois giros manuais no motor e confira o tensionamento e o sincronismo da correia (figuras 3 e 4). Se for preciso efetue ajustes;
Instale novamente a ferramenta de travamento do virabrequim;
Reinstale as capas de proteção da correia e a polia do virabrequim. Torque recomendado para a polia 130 N.m (13 Kgf.m);Retire as ferramentas de alinhamento do virabrequim (varetas) e a ferramenta de travamento da árvore de manivelas;


Reinstale tudo o que foi retirado.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Posição de montagem das rodas fônicas Motores Turbo 1.0 16V, AP 1.6 Total Flex, EA111 1.0 16V (Gol Power), EA 111 1.0 8V e EA 111 1.6 8V.


Os novos conjuntos de roda fônica do sensor de rotação e flange de vedação traseira do virabrequim começaram a ser montados nos motores Volkswagen a partir de 1999 (figura 1).
Os primeiros veículos a utilizarem esse conjunto foram o gol e a parati 1.0 16V turbo.
Hoje todos os veículos Volkswagen com ignição estática (sem distribuidor), com ou sem acelerador eletrônico, vem equipados com a roda fônica junto ao flange de vedação na parte traseira do motor,  atrás do volante.
Existem 3 modelos distintos de conjuntos flange e roda fônica que podem ser encontrados: •  BRUSS (figura 2); •  SABÓ (figura 3); • FREUDENBERG (figura 4).
Na montagem da parte traseira do virabrequim, primeiro deve ser instalado o flange de vedação e depois a roda fônica.
Cada roda fônica (BRUSS, SABÓ e FREUDENBERG) possui uma posição ideal de montagem, conforme explicaremos a seguir: • Com o primeiro cilindro no ponto morto superior - PMS ou o volante do motor em zero grau, o furo guia da roda fônica deve estar alinhado com a referência indicada existente no flange de vedação (figuras 2, 3 e 4).
Observação:
Para que se tenha precisão na montagem da roda fônica é recomendada a utilização do dispositivo (ferramenta) especial para esse fim (vide a próxima dica).
A instalação incorreta da roda fônica ocasiona cálculos incorretos do avanço de ignição e do tempo de injeção. Ou seja, um erro em sua instalação pode provocar irregularidades generalizadas no funciona- mento do motor: motor não pega, motor falhando,  marcha-lenta oscilando etc.

Cuidados especiais para a perfeita instalação e durabilidade das correias dentadas

Cuidados especiais para a perfeita instalação e durabilidade das correias dentadas
Na instalação de uma nova correia dentada, atente para os seguintes detalhes:

1 - Aplicação da correia nova e das engrenagens do sistema 
:: Certifique-se da correta aplicação da correia que será instalada, conferindo sua largura e o comprimento de seu perímetro externo (diâmetro externo). :: Na necessidade de se substituir uma engrenagem do sistema ou a bomba d`água, atente para a correta aplicação do componente.
 2 - Alinhamento e verificação das polias
Verifique: :: Polias desalinhadas (principalmente a polia tensora); polias com os dentes gastos; polias contaminadas por óleo, graxa, areia, corrosão, etc. Tais problemas causam ruídos excessivos e desgaste prematuro das correias. :: A integridade dos roletes auxiliares da correia dentada (roletes trancados, roletes excessivamente folgados).
3 - Instalação da correia dentada
:: A substituição, bem como o tensionamento da correia dentada, deve ser efetuada com o motor frio. :: Quando a correia for retirada, evite movimentar bruscamente o virabrequim. Lembre-se de que sem a correia, as válvulas estão paradas e há riscos de colisão entre as mesmas e os pistões. :: A nova correia deve ser instalada e tensionada cuidadosamente na posição correta de sincronismo. Após sua instalação movimente manualmente o virabrequim por duas voltas completas (isso faz com que a correia se assente sobre as  polias). Feito isso, confira a posição e o tensionamento da correia. Se necessário posicione-a e tensione-a novamente.
4 - Entrevista com o cliente e verificação do histórico do veículo
É importante saber o histórico do veículo em que será feita a substituição da correia dentada. Esta informação pode ser valiosa na solução do problema apresentado. :: Se o veículo apresenta desempenho insatisfatório após a substituição da correia por outro profissional, é provável que o mesmo não tenha sabido sincronizá- la. :: Se a correia apresenta desgaste e ruído excessivo após ter sido substituída em um veículo que já sofreu reparos no motor ou colisões frontais, é provável que haja polias desalinhadas (empenadas), etc.
5 - Advertências
:: As correias dentadas não podem ser dobradas (vincadas) sob o risco de danificar os cordonéis da correia que são de fibra de vidro. Devem ser mantidas em sua embalagem original até o momento de sua aplicação. :: Correias dentadas usadas não podem ser reutilizadas.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

COMO TROCAR A CORREIA DO DO GOL G4 MOTOR AT 1.0 8 VALVULAS



































Motor AT 1.0 8 válvulas


Gol 1.0 MI 8V

>>Procedimento para verificação do sincronismo da correia dentada

Para verificar o sincronismo da correia dentada dos motores AT 1.0 8 válvulas, proceda da seguinte forma:

Posicione manualmente o volante do motor na marcação de zero grau (figura 1);

Observe se nessa condição a marca de sincronismo da polia do comando de válvula coincide com a marca de referência (figura 3);

Observe ainda se o eixo distribuidor de ignição está posicionado corretamente. Com a correia dentada em sincronismo, o rotor de ignição deve apontar para a marca de referência (figura 4). Se não forem observados os referidos alinhamentos, dê mais uma volta completa na árvore de manivelas;

Caso seja verificado sincronismo incorreto ou se deseje substituir a correia dentada, execute o procedimento a seguir. >>Procedimento para substituição da correia


Retirar a tampa superior de proteção da correia dentada;

Retirar a correia poli-V; Retirar a polia do virabrequim (fixada

por 4 parafusos); Retirar a proteção plástica inferior da

correia; Girar manualmente o motor e posicionar o volante do


mesmo na marca de zero grau (figura 1). Nessa condição a marca de sincronismo da polia do comando de válvulas deve coincidir com a marca de referência (figura 3);

Solte a porca do tensionador. Utilizando-se uma chave allen de 6 mm, afrouxe o tensionador e retire a correia (figura 2). Evite movimentar bruscamente o virabrequim. Lembre-se de que sem a correia, há risco de colisão entre os pistões e as válvulas;

Instale a correia nova no sentido de rotação do motor. Comece a instalação pela polia do virabrequim;

Com a chave allen de 6 mm tensione o esticador em sua posição de máximo tensionamento. Aperte a porca de fixação (figura 2);

Dê dois giros manuais completos no motor;Confira atenciosamente a posição do tensionador e as marcas de referência para sincronismo. O tensionador deve estar na posição correta de trabalho (figura 2). Se for necessário, reajuste-o. As marcas de sincronismo (da polia do eixo comando e do volante do motor) devem coincidir com as referências (conforme descrito anteriormente (vide item 5);


Se tudo estiver OK, refaça a montagem das tampas plásticas inferior e superior, reinstale a polia do virabrequim e a correia poli-V.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

como trocar a correia do Astra 2.0 16V, Vectra 2.0 16V, Vectra 2.2 16V e Zafira 2.0 16V


Motores 2.0 e 2.2 16 válvulas
Astra 2.0 16V, Vectra 2.0 16V, Vectra 2.2 16V e Zafira 2.0 16V
>>Procedimento para verificação do sincronismo da correia dentada
Para verificar o sincronismo da correia dentada dos motores desses veículos, proceda da seguinte forma:
Retire o suporte do filtro de ar e a roda dianteira direita;
Apóie o motor utilizando-se de um suporte de sustentação superior. Com o motor já apoiado, retire a porca do coxim e o suporte do motor;
Retire a correia poli-V; Retire a polia do virabrequim; Retire a capa plástica protetora da correia; Gire manualmente o motor, de modo que a marca
existente na engrenagem do virabrequim, alinhe-se com a referência existente na carcaça da bomba de óleo (figura 1);
Observe se, nessa condição, as polias dos comandos de admissão e escape alinham-se simultaneamente na horizontal e com as marcas de referência existentes no motor (Figura 2). Se não forem observados os referidos alinhamentos, dê mais uma volta completa na árvore de manivelas;
Caso seja verificado sincronismo incorreto ou se deseje substituir a correia dentada, execute o procedimento a seguir.
>>Procedimento para substituição da correia
Com a correia dentada já exposta e sincronizada (conforme descrito anteriormente nos itens 6 e 7), trave as polias dos eixos comandos utilizando-se de uma ferramenta especial (figura 3);
Solte a porca do tensionador. Com uma chave allen  de 6 mm, afrouxe o tensionador e retire a correia (figura 4). Evite movimentar bruscamente o virabrequim. Lembre- se de que sem a correia, há risco de colisão entre os pistões e as válvulas;
Instale a correia nova, começando pela engrenagem do virabrequim e tomando o  máximo cuidado para não perder o correto sincronismo;
Com a chave allen de 6 mm tensione o esticador em sua posição de máximo tensionamento. Aperte a porca de fixação (figura 4);
Retire a ferramenta de travamento das polias dos eixos comandos e dê dois giros manuais completos no motor;Confira atenciosamente a posição do tensionador e as marcas de referência para sincronismo. O tensionador deve estar na posição correta de trabalho (figura 4). Se for necessário, reajuste-o. As marcas de sincronismo (das polias dos eixos
comandos e da engrenagem do virabrequim) devem coincidir com as referências (conforme descrito anteriormente);
Se tudo estiver OK, reinstale o que foi retirado;

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

troca de correia Astra 2.0 8V, Blazer 2.2 8V, Blazer 2.4 8V, Celta 1.0 8V, Corsa 1.0 8V, Corsa 1.4 8V,

Motores GM 1.0, 1.4, 1.6, 1.8, 2.0 e 2.2 de 8 válvulas
Astra 2.0 8V, Blazer 2.2 8V, Blazer 2.4 8V, Celta 1.0 8V, Corsa 1.0 8V, Corsa 1.4 8V, Corsa 1.6 8V, Ipanema 1.8 8V,  Ipanema 2.0 8V, Kadett 1.8 8V, Kadett 2.0 8V, Monza 1.8 8V, Monza 2.0 8V, Omega 2.0 8V, Omega 2.2 8V, S-10 2.2 8V, S-10 2.4 8V, Suprema 2.0 8V, Suprema 2.2 8V, Vectra 2.0 8V, Vectra 2.2 8V e Zafira 2.0 8V.

































>>Procedimento para verificação do sincronismo da correia dentada
Os motores GM de 8 válvulas equipam os seguintes veículos: Astra, Blazer, Celta, Corsa, Ipanema, Kadett, Monza, Omega, S10, Vectra e Zafira. Embora possuam diferenças construtivas, têm os procedimentos de sincronismo da correia dentada muito similares. Apresentaremos a seguir, um método genérico para esses motores:
Retire as correias auxiliares; Retire a polia do virabrequim. Nos motores como o
do Corsa, para soltar o parafuso central da polia, utilize um dos seguintes artifícios (soluções utilizadas, com sucesso, por muitas oficinas):
Engate a 5ª marcha e pise no freio; Levante o veículo; retire a tampa inferior
de proteção do volante do motor; introduza uma chave allen de 12 mm entre a cremalheira e a carcaça da caixa;
Retire a capa plástica protetora da correia; Gire manualmente o motor, de modo que a
marca existente na engrenagem do virabrequim, alinhe-se com a referência existente na carcaça da bomba de óleo (figura 1);
95   N.m +
Observe se, nessa condição, a marca existente na polia do comando alinha-se  com a referência existente na tampa traseira da correia dentada (figura 2). Se não forem observados os referidos alinhamentos, dê mais uma volta completa na árvore de manivelas;
Caso seja verificado sincronismo incorreto ou se deseje substituir a correia dentada, execute o procedimento a seguir.
>>Procedimento para substituição da correia
Com a correia dentada já exposta e sincronizada (conforme descrito anteriormente nos itens 4 e 5), solte a porca do tensionador. Com uma chave allen de 6 mm, afrouxe o tensionador e retire a correia (figura 3). Evite movimentar bruscamente o virabrequim. Lembre-se de que sem a correia, há risco de colisão entre os pistões e as válvulas;Instale a correia nova, começando pela engrenagem do virabrequim e tomando o  máximo cuidado para não perder o correto sincronismo;
Com a chave allen de 6 mm tensione o esticador em sua posição de máximo tensionamento. Aperte a porca de fixação (figura 3);
Dê dois giros manuais completos no motor; Confira atenciosamente a posição do tensionador e
as marcas de referência para sincronismo. O tensionador deve estar na posição correta de trabalho (figura 3). Se for necessário, reajuste-o. As marcas de sincronismo (da polia do eixo comando e da engrenagem do virabrequim) devem coincidir com as referências (conforme descrito anteriormente);
Se tudo estiver OK, reinstale o que foi retirado;

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

como trocar a correia do Corsa 1.0 16V, Corsa 1.6 16V e Tigra 1.6 16V



Motores 1.0 e 1.6 16 válvulas
Corsa 1.0 16V, Corsa 1.6 16V e Tigra 1.6 16V
>>Procedimento para verificação do sincronismo da correia dentada
Para verificar o sincronismo da correia dentada desses motores, proceda da seguinte forma:
Retire a correia poli-V; Retire a capa plástica superior de proteção
da correia dentada. Retire o sensor de fase; Retire a polia do virabrequim; Retire a capa plástica protetora inferior da
correia dentada; Gire manualmente o motor, de modo que a
marca existente na engrenagem do virabrequim alinhe-se com a referência existente tampa traseira da correia dentada (figura 1);
Observe se, nessa condição, as marcas existentes nas polias dos comandos de admissão e escape alinham-se na horizontal (figura 2). Se não forem observados os referidos alinhamentos, dê mais uma volta completa na árvore de manivelas;
Caso seja verificado sincronismo incorreto ou se deseje substituir a correia dentada, execute o procedimento a seguir.
>>Procedimento para substituição da correia
Com a correia dentada já exposta e sincronizada (conforme descrito anteriormente nos itens 5 e 6), trave as polias dos eixos comandos utilizando-se de uma ferramenta especial (figura 3);
Solte a porca do tensionador. Com uma chave allen de 6 mm, afrouxe o tensionador e retire a correia (figura 4). Evite movimentar bruscamente o virabrequim. Lembre-se de que sem a correia, há risco de colisão entre os pistões e as válvulas;
Instale a correia nova, começando pela engrenagem do  virabrequim e tomando o  máximo cuidado para não perder o correto sincronismo;
Com a chave allen de 6 mm tensione o esticador em sua posição de máximo tensionamento. Aperte a porca de fixação (figura 4);
Retire a ferramenta de travamento das polias dos eixos comandos e dê dois giros manuais completos no motor;Confira atenciosamente a posição do tensionador e as marcas de referência para sincronismo. O tensionador deve estar na posição correta de trabalho (figura 4). Se for necessário, reajuste-o. As marcas de sincronismo (das polias dos eixos comandos e da engrenagem do virabrequim) devem
coincidir com as referências (conforme descrito anteriormente);
Se tudo estiver OK, reinstale o que foi retirado. O torque aplicado no parafuso da polia do virabrequim deve ser de aproximadamente 140 N.m ou 14 Kgf.m;

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

honda cyti ficha tecnica

Ficha Técnica
Motor Potência (cv x rpm) - Gasolina/ Etanol Torque (kgf.m x rpm) - Gasolina/ Etanol Tração Transmissão manual de 5 velocidades Transmissão automática de 5 velocidades com Shift Hold Control Pneus Estepe em aço Rodas de liga leve (pol) Direção com assistência elétrica progressiva (EPS) Suspensão dianteira Suspensão traseira
DX
1.5 16V SOHC i-VTEC FLEX
14,8 x 4800 115/116 x 6000
Dianteira
175/65 R15 175/65 R15
15 x 5,5’ J
McPherson Barra de torção

Dim E nsõ E s
Distância entre eixos (mm) Comprimento (mm) Altura (mm) Largura (mm) Peso - Transmissão manual (Kg) Peso - Transmissão automática (Kg) Capacidade do tanque de combustível (l) Volume do porta-malas (l)
DX
2550
1480 4400
1695
1118 1156
506 42

E XTE rior
Acabamento do suporte da placa traseira cromado Antena na parte traseira do teto Brake light Farol de neblina Grade frontal na cor cinza Maçanetas externas Pára-brisa degradê Pára-choques na cor do veículo Ponteira do escapamento cromada Retrovisores elétricos na cor do veículo Vidros verdes com filtro UV

sábado, 27 de novembro de 2010

ficha tecnica completa do novo hyundai ix35

MOTOR
2,0 litros; 4 cilindros ; DOHC; 16 válvulas; 168 CV @ 6.200 rpm; torque 197 Nm @ 4.600 rpm; em Aluminio; injeção MPFI; a Gasolina; VIS (coletor de admissão variável) e CVVT ( duplo comando de válvulas variável).


NÚMERO DE OCUPANTES
5 passageiros pessoas.


TRANSMISSÃO
Automática : 6 velocidades (com lock up); opção de acionamento manual e seqüencial, com controle de distribuição de torque, sistema adaptativo de condução. Mecânica : 5 velocidades com acionamento hidráulico da embreagem.

TRAÇÃO
Controlada eletronicamente nas 4 rodas, 4WD lock ( se equipado). ESP (programa eletrônico de estabilidade) que atua em conjunto com os sistemas de freio ABS, EBD ( distribuidor de força eletrônico entre traseira e dianteira ) sistema de injeção e TCS ( sistema de controle de tração).

SUSPENSÃO
Dianteira independente tipo MacPherson e traseira independente Multi-link com molas helicoidais; amortecedores pressurizados a gás de dupla ação.

RODAS E PNEUS
6,5 J x 18" em liga leve, radiais 225/55R 18.

DIMENSÕES
Comprimento - 4.410mm
Largura - 1.820mm
Altura - 1.655mm
Entre eixos - 2.640mm
Vão livre do Solo - 170mm

PESOS
Peso em ordem de marcha (Aut) - 1.576 Kg ( PBT 2.030 Kg )kg
Peso em ordem de marcha (Man) - 1.500 Kg ( PBT 1.980 Kg )kg

ÂNGULOS LIMITES
Ângulo de entrada - 28,1º
Ângulo interno - 17,0º
Ângulo de saída - 26,9º

ITENS DE SEGURANÇA

FREIOS
A disco nas 4 rodas, sendo disco duplo ventilado na dianteira e disco sólido na traseira, ABS ( Sistema de freios Anti Bloqueio) DBC (assistência em descidas ingremes), BAS ( assistência em frenagem de emergência).

INTERNO
Air bag frontal, lateral, cortina , coluna de direção retrátil, cintos dianteiros com pré-tensionadores e limitadores de força, luzes de advertência para cinto desatado do motorista e portas abertas, apoios de cabeça dianteiros e traseiros com regulagem em altura.


EXTERNO
Faróis com refletores multi-foco, faróis de neblina, alarme anti-furto, imobilizador, brake light incorporado ao aerofólio traseiro, acendimento automático do farol ( se equipado).

TRANSMISSÃO
Automática : 6 velocidades (com lock up); opção de acionamento manual e seqüencial, com controle de distribuição de torque, sistema adaptativo de condução. mecânica : 5 velocidades com acionamento hidráulico da embreagem.

ITENS DE CONFORTO E CONVENIÊNCIA

INTERIOR
Vidros verdes com pára-brisa degradê; porta objetos; porta copos; bancos com várias combinações de arranjo interno, relógio de horas digital, retrovisor interno anti-ofuscante. Banco do condutor com regulagem elétrica lombar e de altura ; console de teto com porta óculos; tomadas extras de 12 V; detalhes em Alumínio; bancos em couro ( opcional). Banco traseiro , bi-partido e com descansa braços central; piloto automático; luz de leitura; retrovisor interno com sistema de câmera de ré ( se equipado), partida sem chave (botão).Vidro do motorista com anti esmagamento ( se equipado), espelhos externos e travas com acionamento elétrico; limpador de pára-brisa com 2 velocidades e temporizador com 04 regulagens. cinzeiro removivel no console, computador de bordo , espelho de vaidade iluminado, travamento de portas automático (se equipado), regulagem de altura do cinto de segurança para os bancos dianteiros.

EXTERIOR
Key-less, alarme anti-furto, imobilizador ( se equipado), travamento à distância, rack no teto, desembaçador e limpador do vigia traseiro com temporizador , rebatimento elétrico dos retrovisores externos. Abertura remota do tanque de combustível, antena no teto, teto solar panorâmico ( se equipado) , retrovisores externos com piscas incorporados.

SOM
Rádio AM/FM, CD player com reprodução de MP3, controle de som no volante com entradas auxiliares (Ipod e USB), disqueteira 6 CDs integrada com o aparelho ( se equipado ) .

AR CONDICIONADO
Automático, eletrônico, dual zone dianteiro e direcionadores de ar traseiros, com filtro anti-pólem .
ix35

ix35

ix35


sexta-feira, 26 de novembro de 2010

novo peugeot 207 hb ficha tecnica e muito mais

Direção Hidráulica
A direção hidráulica do Peugeot 207 garante a você segurança e conforto nas manobras. * Versão X-line: Opcional sob encomenda; * Versões XR, XR S e XS: Equipamento de série;
Desenho Externo
O design do Peugeot 207 surpreende com suas linhas e detalhes únicos. A grade frontal, a lanterna traseira e o painel interior. Tudo no Peugeot 207 foi desenvolvido com perfeição.

Novo Painel
Inspirado nos mostradores utilizados em motos, o painel de instrumentos do Peugeot 207 tem um conjunto de três mostradores circulares, que lembram mecanismos de precisão. Todas as funções dos equipamentos são apresentadas de maneira clara e de fácil visualização ao condutor. 

Motor
Seu coração vai bater mais forte com a performance dos motores do Peugeot 207. Motor 1.4 Flex nas versões X-Line,  XR e XR S - potência de até 82 cavalos quando abastecido com álcool e 80 cavalos quando abastecido a gasolina a 5.250 rpm, com um torque máximo de 12,85 mkgf a 3.250 rpm, obtido com qualquer um dos combustíveis.  Motor 1.6 Flex nas versões XS e XS Automático potência de até 113 cavalos com álcool e 110 cavalos com gasolina a 5.600 rpm, com um torque máximo de 15,5 mkgf a 4.000 rpm com gasolina.
travamento automático das portas
Ao atingir a velocidade de 10 km/h, as portas do Peugeot 207 são travadas automaticamente. Detalhes pensados para aumentar sua segurança e o prazer em dirigir.
Câmbio automático
Câmbio automático seqüencial Tiptronic System Porsche que se adapta ao seu modo de dirigir. Os seus quatro modos de direção, Automático (D), Sport (S), Antipatinação e Manual, permitem que você dirija com o melhor desempenho e com o máximo de esportividade. O Peugeot 207 conquista você e o seu corpo em todos os sentidos.

ITEM EXCLUSIVO para a versão XS Automático 


peugeot

peugeot

peugeot

peugeot

peugeot


peugeot

peugeot

peugeot





domingo, 21 de novembro de 2010

mecanica parte 5

o pistão
o pistão justamente com as bronzinas e biela,
transfere a força do ciclo de explosão para o virabrequim
o pistão completo é formado pelo próprio pistão seus aneis e o pino
os recortes na saia do pistão servem para dar passagem para o contra peso do virabrequim ao girar
o formato da cabeça do pistão dependem das camisas e de sua taxa de compresão
a cabeça do pistão pode ser plana,côncava,convexa,ou com ressaltos




curso de mecanica ,curso de mecanica basica , mecanica
cursos gratis ,curso a distancia ,cursos profissionalizantes

mecanica parte 4

nesse vídeo vamos saber sobre as camisas do pistão mais conhecida no ramo como camara de combustão



curso de mecanica ,curso de mecanica basica , mecanica
cursos gratis ,curso a distancia ,cursos profissionalizantes

mecanica parte 3

nesse vídeo vamos saber um pouco mais sobre as ligas de alumínio que estão presentes no motor do seu carro
em forma de coletores coxim suportes e muitas outras coisas




curso de mecanica ,curso de mecanica basica , mecanica
cursos gratis ,curso a distancia ,cursos profissionalizantes

mecanica parte 2

mais um vídeo muito interessante sobre as ligas de metais que compõe os motores
da maioria dos carros nacionais e importados confira
+ esse vídeo



curso de mecanica ,curso de mecanica basica , mecanica
cursos gratis ,curso a distancia ,cursos profissionalizantes

mecanica part 1

a primeira parte deste curso é para que você possa entender um pouco + de como são feitos os motores dos carros que você tanto admira




curso de mecanica ,curso de mecanica basica , mecanica
cursos gratis ,curso a distancia ,cursos profissionalizantes

sábado, 20 de novembro de 2010

ficha tecnica e fotos Hyundai Santa Fe 2011

Utilitário esportivo com belo design e ótimo desempenho, o Santa Fe esbanja praticidade tanto no asfalto como em terrenos acidentados. 

Linha 2009 
Oferecido no Brasil somente na versão GLS, oferece como itens de série: ar condicionado automático, digital, banco do motorista com ajustes lombar e de altura, banco traseiro reclinável, CD player, manopla de câmbio e volante em couro, porta objetos e porta copos, entre outros. 

Motores disponíveis 
2.7 V6 


Transmissões disponíveis 
Automática de quatro marchas


Santa Fe GLS 3.5 V6 4x4
Motor: 3.5 V6 24V
Alimentação: Injeção eletrônica multiponto
Potência (cv): 285,0
Torque (kgf.m): 34,0
Velocidade Máxima (km/h): N/D
Tempo 0-100 (s): N/D
Consumo cidade (km/l): N/D
Consumo estrada (km/l): N/D

Mecânica
Santa Fe GLS 3.5 V6 4x4



Câmbio:Automático sequencial de seis velocidadesAutomático sequencial de seis velocidades
Tração:4x4
Direção:Hidráulica



sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Ficha Técnica – Toyota Corolla 2011 – Altis 2.0 16V

Ficha Técnica – Toyota Corolla 2011 – Altis 2.0 16V

Preço
R$ 89.160

Categoria
sedã médio

Capacidade
5 passageiros

Velocidade máxima km/h
0 a 100 km/h
11,8 segundos

Consumo urbano
8,2 km/l

Potência
142 cv

Torque
19,8 kgfm

Porta-malas
470 litros

Motor:

Posição dianteiro, transversal
Cilindros 4 em linha
Cilindrada 1986 cm3
Diâmetro x curso 80,5 x 97,6 mm
Comando variável, DOHC 16V
Taxa de compressão 12:1

Transmissão:

Tipo automático seq. de 4 marchas
1ª 3,943
2ª 2,197
3ª 1,413
4ª 1,02
Ré 3,145
Diferencial 2,923

Dimensões:

Comprimento 4,54 m
Largura 1,76 m
Altura 1,48 m
Entre eixos 2,6 m
Bitola dianteira m
Bitola traseira m
Altura do solo 0,165 m

fotos








quarta-feira, 17 de novembro de 2010

fotos e ficha tecnica do novo hyundai azera 2011

ficha tecnica

Motor: dianteiro / longitudinal
Cilindrada: 3 342 cm3
Diâmetro x curso: 92,0 / 83,8 mm
Taxa de compressão: 10,4:1
Potência: 245 cv a 6 000 rpm
Torque: 31 mkgf a 3 500 rpm
Câmbio: seqüencial / 5 marchas / dianteira
Dimensões: Comprimento/entreeixos (cm): 489 / 278; Altura/largura (cm): 149 / 186
Peso: 1 640 kg
Peso/potência: 6,7 (kg/cv)
Peso/torque: 52,9 (kg/mkgf)
Porta-malas/caçamba: 470 l
Tanque: 75 l
Suspensão dianteira: independente, tipo duplo A
Suspensão traseira: independente, tipo multilink
Freios: disco ventilado (dianteiro) / disco (traseiro)
Direção: elétrica / 3 voltas
Pneus: 235/55 R17
Equipamentos: Ar-condicionado/direção assistida; Rodas de liga leve/madeira; CD player/comandos do volante; Vidros/trava elétricos; Espelhos/teto solar elétricos; Bancos elétricos/couro; Computador de bordo/cruise-control; Sensor de estacionamento/de chuva
Consumo urbano: 7,1 km/l
Consumo rodoviário: 10,8 km/l
0 a 100 km/h: 8,7 s
0 a 1000 m: 29,5 s
Retomada 40 a 80 em 3ª (ou D): 4,6 s
Retomada 60 a 100 em 4ª (ou D): 4,7 s
Retomada 80 a 120 em 5ª (ou D): 5,7 s
Velocidade máxima: 225,1 km/h
Frenagem: 59,7 / 26,4 / 15 (120/80/60 km/h a 0 (m))
Ruído interno 1ª rpm máx: 39,9 / 61,9
Ruído interno 80 / 120 km/h: 55,2 / 61,2
fotos 












terça-feira, 16 de novembro de 2010

como trocar a correia do Renault: Scénic 1.6 16V, Clio II 1.6 16V e Mégane 1.6 16V

Motores 1.6 16 válvulas


Renault: Scénic 1.6 16V, Clio II 1.6 16V e Mégane 1.6 16V
Particularidades do procedimento
As principais particularidades do procedimento de troca da correia dentada desses veículos são:
As polias dos eixos comandos de válvulas e a engrenagem do virabrequim não são chavetadas. Por isso, a simples troca dessa correia, requer o domínio do procedimento e a utilização de ferramentas especiais.
Há pouco espaço livre no compartimento do motor. Para se retirar as capas protetoras da correia, a correia ou qualquer um de seus rolamentos ou engrenagens, deve-se deslocar o motor (conforme explicaremos nos itens a seguir).
O motor está em perfeito sincronismo quando: Com o primeiro cilindro em ponto morto superior PMS (no final da fase de compressão) os rasgos existentes nas
extremidades dos comandos (opostas às polias), alinham-se na horizontal (figura 3), tornando possível a perfeita instalação da ferramenta de fasagem (figura 4).
Procedimento para verificação do sincronismo da correia dentada
Retire a bobina e a vela de ignição do primeiro cilindro (figura 1);
Retire o suporte do filtro de ar - com toda sua tubulação (figura 1);
Retire os tampões retentores dos eixos comandos de válvulas - localizados abaixo do suporte do filtro de ar, do lado oposto ao das polias (figura 2). Para retirar os tampões, bata cuidadosamente na lateral dos mesmos (figura 2). Caso algum dos tampões seja danificado na retirada, providencie um novo componente;

Gire manualmente o motor, até que os rasgos existentes nas extremidades dos comandos (opostas às polias), alinhem-se na horizontal - abaixo do centro dos eixos ( figura 3). Atenção! Rasgos alinhados acima dos centros dos eixos indicam a necessidade de se dar mais uma voltacompleta no virabrequim;

Observe se, nessa condição, o primeiro cilindro encontra-se no ponto morto superior PMS - no final da fase de compressão. Para verificar o PMS insira, por exemplo, um relógio comparador no orifício da vela do primeiro cilindro;
Com o primeiro cilindro em PMS, remova o bujão para posicionamento da ferramenta indicadora do ponto morto superior PMS e instale-a (figura 5). Para verificar o perfeito encaixe da ferramenta de PMS, dê um pequeno giro manual no motor para trás (no sentido contrário ao de rotação) e posteriormente gire-o para frente (no sentido de rotação) até que o movimento do virabrequim seja bloqueado pela ferramenta;
Com o primeiro cilindro bloqueado no PMS (figura 5) e as extremidades dos eixos comandos corretamente posicionadas (figura 3), instale a ferramenta de alinhamento dos eixos comandos de válvulas e aperte seu parafuso de fixação (figura 4).Caso seja verificado o sincronismo incorreto ou se deseje substituir a correia dentada, execute o procedimento a seguir. Procedimento para substituição da correia
Desligue o cabo positivo da bateria (figura 1); Com a correia devidamente sincronizada e os
eixos comandos de válvulas e virabrequim travados pelas ferramentas de fasagem (conforme descrito no item anterior), posicione o veículo em um elevador automotivo;
Retire a proteção do cárter, a roda dianteira direita e o protetor interno ao pára-lama (figura 6);
Alivie a tensão da correia poly-v e retire-a; Certifique-se, mais uma vez, do correto
posicionamento do virabrequim (apoiado pela ferramenta de PMS  figura 5) e dos eixos comandos de válvulas (figura 4);
Retire o sensor de rotação e instale em sua base a ferramenta de travamento da árvore de manivelas (figura 7);
Solte a polia do virabrequim e retire a capa de proteção inferior da correia dentada (capa plástica);
Para facilitar a retirada do suporte de sustentação superior do motor, solte a mangueira do canister e desligue o chicote dos sensores de pressão-MAP, posição da borboleta-TPS e atuador da marcha lenta-IAC;
Apóie o motor pelo cárter utilizando-se de um macaco jacaré, por exemplo;
Retire o suporte de sustentação superior do motor (figura 1);
Por intermédio do macaco jacaré, levante cuidadosamente o motor até que se consiga acesso para a retirada da capa de proteção superior da correia dentada (capa metálica). Feito isso, retire a capa superior da correia;
Solte a porca de fixação do tensionador da correia dentada e retire a correia;
Instale a nova correia no sentido anti-horário, começando pela engrenagem do virabrequim;
Com o auxílio de uma chave Allen de 6mm, movimente o tensionador para sua posição de máximo tensionamento (figura 8). Nessa posição, aperte a porca de fixação do tensionador;Reinstale a polia do virabrequim, aplicando um torque de 25 N.m (2,5 Kgf.m) + 135 graus angulares;
Retire a ferramenta de fasagem dos eixos comandos (figura 4), o indicador de PMS (figura 5) e a ferramenta de travamento da árvore de manivelas (figura 7);
Dê dois giros manuais no motor; Solte a porca de fixação do tensionador e
movimente-o para sua posição de tensionamento ideal (figura 8). Nessa posição, aperte a porca de fixação do tensionador com o torque de 30 N.m (3 Kgf.m);
Reposicione atentamente a correia em sincronismo (conforme descrito no item verificação do sincronismo), travando os eixos comandos de válvulas (figura 4) e o virabrequim (figura 5) em sua posição de fasagem. Instale novamente a ferramenta de travamento da árvore de manivelas;
Retire a polia do virabrequim; Reinstale as capas de proteção da correia, o
suporte de sustentação superior do motor e a polia do virabrequim - torque recomendado de 25 N.m (2,5Kgf.m) + 135 graus angulares;
Retire a ferramenta de travamento e as ferramentas de fasagem (figuras 4, 5 e 7);
Reinstale o que foi retirado.
correia renault

correia renault

correia renault

correia renault

correia renault